rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Bashar al-Assad Síria Vladimir Putin Rússia Militares

Publicado a • Modificado a

Rússia anuncia retirada de tropas de Síria

media
O Presidente Vladimir Putin rodeado pelo Ministro da Defesa russo Sergeï Choïgu e pelo seu homólogo sírio Bashar al-Assad durante a visita a base aérea de Hmeimim na Província de Latakia, na Síria.11 de Dezembro de 2017 Sputnik via REUTERS

No decurso de uma visita imprevista à Síria, o Presidente da Rússia, Vladimir Putin, anunciou a retirada de um número signficativo das forças russas estacionadas na Síria. A decisão ocorre dias depois do Kremlin ter anunciado a derrota total dos jiadistas do autodenominado Estado Islâmico, no território sírio.


Durante a sua visita à base aérea russa de Hmeimim, na Síria, o Presidente Putin, ordenou a retirada de uma parte importante do contingente russo, mas precisou que as instalações, onde se encontram os efectivos miliatres russos , bem como a base naval de Tartous permanecem operacionais".

De acordo com o número um do Kremlin, em cerca de dois anos, as forças armadas russas, em colaboração com as suas homólogas sírias , destruiram em larga medida os terroristas internacionais.Por conseguinte ele decidiu retirar uma parte significativa das forças russas que operavam na Síria.

O Presidente Vladimir Putin que foi acolhido em Hmeimim pelo seu homólogo sírio, Bashar al-Assad, o ministro da defesa russo Sergueï Choïgou, assim como pelo comandante das forças russas na Síria, general Sergueï Sourovikine, não revelou o número de militares que continuarão operacionais no país em conflito.

Putin considerou que o objectivo da luta contra, o que ele qualifica de criminosos armados, exigia meios de grande envergadura, mas que o mesmo foi atingido com brilhantismo. O chefe de Estado russo sublinhou, que a soberania e independência da Síria foram preservadas.

Em reposta, o Presidente sírio, Bashar al-Assad agradeceu ao seu homólogo russo, afirmando que ,o que os militares russos fizeram pelo seu país, nunca será esquecido pelos sírios. Segundo Al-Assad o sangue dos militares russos misturou-se com o dos mártires do exército sírio.

O Presidente Putin declarou na presença do seu homólogo da Síria , que agora estão reunidas as condições para uma resolução política do conflito sírio, sob os auspícios da ONU. A oitava ronda de negociações entre as autoridades sírias e a oposição, prossegue em Genebra até ao dia 14 de Dezembro.