rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Moçambique Fauna Reserva Florestal Preservação ambiental Lago Niassa Animais Elefantes Marfim

Publicado a • Modificado a

Moçambique: Pedro Vicente detido no caso “pontas de marfim”

media
Imagem de Ilustração. REUTERS/Charles Platiau

Pedro Vicente, ex-chefe dos serviços provinciais de Fauna Bravia, no Niassa, foi detido no caso do alegado furto em 2017 de 85 pontas de marfim armazenadas nesses serviços.


A procuradoria provincial de Niassa anunciou a detenção do ex-chefe dos serviços provinciais da Fauna Bravia. Em causa estava o alegado furto em 2017 de 85 pontas de marfim armazenadas nestes serviços.

De acordo com a procuradoria, o mesmo andava fugitivo, foi detido em Maputo e levado de volta a Niassa. Os custos estão avaliados em muitos milhões de meticais.

Pedro Vicente deverá agora ir a julgamento, esperando por uma decisão do tribunal.

Oiçamos Francisco Albano, porta-voz da procuradoria provincial de Niassa, que anunciou a detenção em Maputo e a extradição hoje do ex-chefe dos serviços provinciais de Fauna Bravia, Pedro Vicente.

Francisco Albano, porta-voz da procuradoria provincial de Niassa 01/11/2018 ouvir

Entretanto, o Botsuana vai oferecer a Moçambique 500 elefantes, no âmbito do programa de repovoamento da espécie nas áreas de conservação moçambicanas, anunciou a ministra dos Assuntos Internacionais e Cooperação do Botsuana, Unity Dow.

Dados da Administração Nacional das Áreas de Conservação indicam que, desde 2009, o país perdeu pelo menos dez mil elefantes e, só na Reserva do Niassa, a maior área protegida do país, o número total desta espécie passou de 12 mil para 4 400 em três anos, entre 2011 e 2014.

A falta de meios humanos e materiais para a fiscalização das extensas áreas de conservação do país é apontada como o principal obstáculo na preservação do elefante. No entanto é preciso lembrar que a principal ameaça são os caçadores furtivos, que abatem os elefantes em busca do marfim.