rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Televisão Angola Luanda Assassínio Rapto jornalista Violência Polícia

Publicado a • Modificado a

Jornalista Beatriz Fernandes assassinada em Luanda

media
Jornalista angolana Beatriz Fernandes, encontrada morta em Luanda a 26/10/2017 Club-K

 

Beatriz Fernandes antiga apresentadora da Televisão Pública de Angola, foi encontrada morta ontem, com sinais de espancamento, depois de ter sido raptada na véspera.


A família de Beatriz Fernandes alertou via Facebook sobre um eventual assalto ou sequestro da jornalista em Luanda ocorrido na quarta-feira (25/10) na viatura em que seguia com os seus dois filhos menores, no intuito de visitar o seu pai, que se encontra internado na clínica da Endiama.

Ontem (26/10) o seu corpo foi encontrado a cerca de 30 kms de Luanda, no município de Viana, com sinais de espancamento.

Avelino Miguel, correspondente em Luanda 27/10/2017 ouvir

Os dois menores, foram abandonados na via pública pelos meliantes e entregues numa esquadra da capital, mas já estão com a família.

A classe jornalistica angolana está de luto, mas em Angola os assassínios de jornalistas nunca foram esclarecidos pela polícia.

A cidade de Luanda regista nos últimos meses um crescente aumento da criminalidade, a polícia está a investigar este assassínio e pormete esclarecê-lo, mas segundo fontes ligadas ao Serviço de Investigação Criminal, citadas pela imprensa angolana, nega que haja nos últimos dias uma vaga de raptos em Luanda - sobretudo de mulheres ao volante - por vezes seguido de homicídio e/ou violação, como relatam as redes sociais, sobretudo Facebook e WhatsApp.

Quando há rapto há um pedido de resgate, o que não sucedeu, no entanto a polícia admite que há muitos roubos junto das caixas ATM, muitas vezes por falta de prudência das vítimas.

O ministro da comunicação social João Melo endereçou à família enlutada de Beatriz Fernandes "profundos votos de condolências" e apelou à calma, confiando que as autoridades localizem e entreguem à justiça os autores deste "hediondo acto".