rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

São Tomé e Príncipe Vacina Mortalidade Doença

Publicado a • Modificado a

STP: Semana Africana de Vacinação

media
O acto central da semana africana de vacinação vai decorrer no parlamento são-tomense Liliana Henriques / RFI

São Tomé e Príncipe recebe esta segunda-feira a Semana Africana de Vacinação até ao dia 28 deste mês sob o lema "Todos Protegidos. As vacinas ajudam! Planeamento familiar reforça."


São-Tomé e Príncipe acolhe nesta segunda-feira (22) o lançamento da Semana Africana de Vacina e da iniciativa para a Redução Acelerada da Mortalidade Materna e Neonatal.

A semana terá o seu pico no dia 24 com uma dimensão regional na cidade de São Tomé, no Palácio dos Congressos, das 9 às 11horas com a presença de altas individualidades nacionais e internacionais em representação da União Africana, OMS, UNICEF, GAVI, UNFPA, que contribuiram na vacinação e na melhoria da qualidade de saúde Reprodutiva, Materna, Neonatal, infantil e de adolescentes.

Para o início deste evento, as atenções vão estar concentradas em cobrir os 5% de crianças que ainda não receberam todas as vacinas, com actividades de vacinação nos postos fixos e equipas móveis.

Ao evocar os objectivos que fixa para o seu ministério, o titular são-tomense do pelouro da saúde, Edgar Neves, referiu que pretende "até 2030 acabar com as mortes evitaveis de recém nascidos e crianças menores de 5 anos, reduzir a taxa de mortalidade materna global para menos de setenta mortes por cem mil nascidos-vivos."

Edgar Neves acrescentou ainda que "O Estado são-tomense reconhece a vacinação como uma das intervenções da saúde de maior êxito e com melhor relação custo-eficácia que salva em média anualmente mais de dois milhões de vidas em todo o mundo demonstrando ser o meio mais eficaz e económico para proteger as pessoas contra as doenças evitaveis pela vacinação."

Cabo Verde, Comores, Egipto, Guiné Equatorial, Madagáscar, Marrocos, Seychelles e Sudão do Sul, estão entre os países convidados a participar no evento.

Recorde-se que São Tomé e Príncipe foi um dos subscritores da Declaração de Addis-Abeba 2016, em que os países signatários se comprometeram a tornar as vacinas acessíveis a todos os seus cidadãos.

Mais pormenores com Maximino Carlos.

Correspondência de Maximino Carlos em São Tomé e Príncipe 22/04/2019 ouvir