rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Governo São Tomé e Príncipe ADI MLSTP-PSD

Publicado a • Modificado a

São Tomé e Príncipe : Jorge Bom Jesus vai formar governo

media
Jorge Bom Jesus Téla non

O chefe de Estado são - tomense convidou hoje Jorge Bom Jesus, presidente do MLSTP / PSD, segundo partido mais votado, para formar governo. A decisão de Evaristo de Carvalho acontece no mesmo dia em que termina o mandato do executivo de Patrice Trovoada, que suspendeu ontem as funções de líder do partido.


A ADI realiza um conselho nacional no próximo dia 9 de Dezembro. Porém a sucessão de Patrice Trovoada só deverá ocorrer no Congresso previsto para Março ou Abril do próximo ano.

Jorge Bom Jesus, Presidente do MLSTP / PSD, a segunda força política mais votada nas eleições legislativas de 7 de Outubro, com 23 mandatos, foi nomeado pelo Presidente da República para chefiar o décimo sétimo Governo constitucional de São tomé e Príncipe.

O facto foi tornado público esta Quinta – feira, através dum decreto Presidencial assinado pelo Presidente Evaristo Carvalho .

A tomada de posse do Governo será no próximo Sábado, às 11 horas, no Palácio do Povo.

Jorge Bom Jesus vai chefiar um governo de coligação, com três partidos (PCD, MDFM e UDD), que garantem uma maioria de 28 deputados.

Com a nomeação do novo Governo fica resolvido o impasse político que se criou após a proclamação dos resultados das últimas legislativas.

O ADI, que foi o partido mais votado, com 25 deputados, não conseguiu formar governo por falta de garantia de sustentabilidade parlamentar.

Ainda esta Quarta - feira admitia-se a hipótese do ex-ministro da Educação, Álvaro Santiago, vir a chefiar o Governo liderado por ADI, mas face ao anúncio de Patrice Trovoada da sua suspensão da Presidência dos independentes democráticos, Evaristo Carvalho optou por convidar Jorge Bom Jesus como Presidente do segundo partido mais votado a formar o governo.

Pelo terceiro dia consecutivo, prosseguem as barricadas em Lembá

Entretanto, no norte da ilha de São Tomé, Distrito de Lembá, a 27 quilómetros da capital do País, considerado o pulmão económico do arquipélago, prossegue a barricada dos populares que exigem o fornecimento de energia eléctrica regular.

Alguns dos directores da empresa de água e electricidade EMAE deslocaram-se esta Quinta feira à cidade de Neves, mas não conseguiram convencer os populares a suspender a barricada.

Acentua-se a escassez de combustível nas gasolineiras e o pescado no mercado da cidade capital.

O parlamento santomense, que se reuniu esta Quinta – feira, pronunciou-se sobre a criação de comissão de inquérito para averiguar a situação na empresa de água e electricidade .

Este inquérito surge em função do repto lançado pelo Presidente da República, na constituição da décima primeira legislatura da Assembleia Nacional, no sentido inquirir a crise energética no País.