rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

São Tomé e Príncipe Nigéria Petróleo Exploração

Publicado a • Modificado a

Encontro sobre zona conjunta de desenvolvimento petrolífero São Tomé/ Nigéria

media
A exploração de hidorcarbonentos na zona conjunta gerou expectativas masaté agora não se concretizou. https://pixabay.com

Uma delegação de alto nível da Nigéria chefida pela Ministra do Estado dos Negócios Estrangeiros, Kadija Ibrahim, terminou esta Quinta-feira uma visita de 48 horas ao arquipélago. Uma das questões analisadas foi a reactivação da Zona conjunta de desenvolvimento petrolífero entre os dois países e a dinamização da ligação aérea entre Abuja e São-Tomé.


Depois de alguma paralisia, os dois países estão empenhados na reactivação desta zona, a Ministra nigeriana do Estado dos Negócios Estrangeiros, Kadija Ibrahim, considerando que na sequência da reestruturação da direcção da zona conjunta pelos dois países, estão criadas as condições para o seu relançamento.

Assinado em Fevereiro de 2001, o tratado de exploração conjunta estabelece que 60% das eventuais receitas recaiam sobre a Nigéria e 40% para São Tomé e Príncipe. Embora esta zona que ocupa uma área total de 34.500 quilómetros quadrados em águas profundas seja considerada atractiva de acordo com estudos geológicos e geofísicos, até agora não foi possível avançar para a fase da exploração do ouro negro.

Os dois países propõem prosseguir os estudos de prospecção de alguns blocos bem como dinamizar o gabinete da zona conjunta, sendo que ambos os países agendaram para breve uma reunião do Conselho Ministerial Conjunto nesta óptica. Mais pormenores com Maximino Carlos.

Maximino Carlos, correspondente da RFI em São Tomé e Príncipe 09/08/2018 ouvir