rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Fraude São Tomé e Príncipe Recenseamento Eleições Nações Unidas

Publicado a • Modificado a

ONU não detecta anomalias no recenseamento eleitoral são-tomense

media
Sede da Comissão Eleitoral Nacional de São Tomé e Príncipe RFI/Liliana Henriques

Zahira Virani, representante das Nações Unidas em São Tomé e Príncipe, garantiu hoje que, contrariamente ao que foi afirmado pela oposição, não foi detectada nenhuma tentativa de fraude no recenseamento eleitoral do país, esta responsável referindo que a ONU vai "fazer das próximas eleições um processo transparente".


Zahira Virani pediu "ao povo que tenha confiança" nos processos eleitorais que se avizinham no âmbito da apresentação hoje em São Tomé dos resultados da análise ao sistema de recenseamento eleitoral do país, a CEN -Comissão Eleitoral Nacional- tendo concluído a actualização dos cadernos eleitorais neste mês de Maio na perspectiva das eleições legislativas, autárquicas e regionais previstas para o próximo mês de Outubro.

De acordo com o consultor internacional contratado pela ONU no intuito de verificar a veracidade das acusações da oposição que já em Janeiro denunciou uma tentativa de "fraude maciça" do partido no poder e irregularidades no recenseamento eleitoral, não foram detectadas anomalias nas bases de dados da CEN. "Até ao momento, o processo de recenseamento eleitoral enquadra-se dentro do que é esperado", considerou Zahira Virani.

Todavia, o MLSTP-PSD e o PCD na oposição, que também estiveram presentes no acto de divulgação do relatório não esconderam que permanecem vigilantes. "Confiar é bom e controlar é melhor" declarou nomeadamente Jorge Bom Jesus, dirigente do MLSTP-PSD. Mais pormenores com Maximino Carlos.

Maximino Carlos, correspondente da RFI em São Tomé e Príncipe 18/05/2018 ouvir