rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

São Tomé e Príncipe Justiça

Publicado a • Modificado a

Chefe de Estado são-tomense apela à contenção face à crise institucional

media
Evaristo Carvalho, Presidente de São Tomé e Príncipe Cristiana Soares/RFI

Esteve reunido hoje o Conselho Superior de defesa presidido pelo chefe de Estado são-tomense, esta entidade tendo apelado à contenção face à crise institucional vigente em torno do caso Rosema e da decisão contestada de se exonerar os juízes do Supremo Tribunal que decidiram entregar a cervejeira ao empresário angolano Mello Xavier, um contencioso que colocou alguns magistrados e oposição de um lado e o governo do outro.


O Conselho Superior da defesa nacional apelou à população para não se mergulhar no desacato e distúrbio que ponham em causa a ordem pública do país.

Presidido por Evaristo Carvalho, chefe de Estado e Comandante Supremo das Forças Armadas, o Conselho deu anuência ao governo para efectuar diligências de promoção nas Forças Armadas de São Tomé e Príncipe.

O seu porta-voz, coronel, João Bexigas, disse que o Conselho analisou, igualmente, o caso do tenente-coronel que baleou mortalmente a sua mulher.

Os partidos da oposição decidiram adiar sem data a manifestação que estava prevista para esta sexta feira. A oposição argumenta o facto dos novos desenvolvimentos, nomeadamente, a reunião do governo com o corpo diplomático acreditado em São-Tomé e Príncipe e o resultado do encontro entre o Presidente da Assembleia Nacional e os três juízes jubilados.

A oposição afirma aguardar o posicionamento do governo face este adiamento aludindo a resolução que destituiu os três juízes conselheiros do Supremo Tribunal de Justiça.

Entretanto, em declarações esta quinta-feira a imprensa, Nino Monteiro, garantiu que a fábrica Rosema, que está no pomo da discórdia sobre a justiça, retomou a sua produção sublinhando que na próxima terça-feira as cervejas estarão no mercado.

Este facto deve-se a orientação do juiz de Lembá distrito situado a norte da ilha
de São-Tomé que decidiu a cervejeira permanecesse com os irmãos Monteiro.

Os irmãos Monteiro, anunciaram entretanto, a sua retirada do MLSTP-PSD, partido ao qual estavam vinculados há mais de três décadas, como nos explica o nosso correspondente em São Tomé e Príncipe Máximino Carlos.

Correspondência de Máximino Carlos 10/05/2018 ouvir