rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

ONU África África Lusófona São Tomé e Príncipe Instabilidade ADI MLSTP-PSD PCD

Publicado a • Modificado a

ONU disponível para apoiar São Tomé

media
Francois Lounceny Fall, representante especial do secretário-geral das Nações Unidas para a África Central STRINGER / AFP

O representante especial do secretário-geral das Nações Unidas para a África Central, François Louncény Fall, disse hoje que a ONU "está pronta" para apoiar o processo democrático em São Tomé e Príncipe no âmbito da crise política que o país atravessa.


O representante especial do secretário-geral das Nações Unidas para a África Central foi recebido em audiências separadas, pelo chefe do executivo, Patrice Trovoada, e pelo responsável pela diplomacia, Urbino Botelho.

Amanhã, o representante especial do secretário-geral das Nações Unidas para a África Central, deve encontra-se com a oposição e a sociedade civil.

François Louncény Fall, afirmou que a ONU "está pronta" para apoiar o processo democrático em São Tomé e Príncipe no âmbito da crise política que atravessa.

Em causa está o clima de desentendimento político entre o partido no poder sustentado pela maioria parlamentar do ADI, e a oposição formada por MLSTP-PSD, PCD, UDD.

A situação agravou-se na semana passada com a eleição dos juízes do Tribunal Constitucional, com os votos da ADI, numa sessão plenária marcada por graves clivagens entre o poder e a oposição.

O conflito entre as partes obrigou à suspensão da sessão parlamentar por três vezes. Seis deputados da oposição foram mesmo expulsos da sala do plenário por elementos da Força de Intervenção Rápida da polícia nacional.

A oposição diz que a eleição dos juízes é inconstitucional porque não respeitou a maioria de dois terços que está prevista na lei e ameaça levar a questão ao Tribunal Penal Internacional.

O primeiro-ministro considerou que a eleição decorreu na normalidade e diz que tudo não passa de uma "campanha de difamação" orquestrada pela oposição para denegrir “as instituições e a democracia" com o intuito de destabilizar o país.
O representante especial do secretário-geral das Nações Unidas para a África Central,François Louncény Fall, fica no país até sexta-feira.

Correspondência de Maximino Carlos 22/01/2018 ouvir