rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Medicina Bactéria Doença Tratamento

Publicado a • Modificado a

São Tomé: encontrados antibióticos para combater celulite necrotizante

media
A celulite necrotizante tem afectado as vidas de várias famílias são-tomenses, factor que se agrava devido ao facto de ainda não se terem descoberto antibiótiocos que possam combater a doença. DR

Foram encontrados antibióticos que podem ajudar a tratar a celulite necrotizante em São Tomé e Príncipe. Especialistas da Organização Mundial de Saúde (OMS) dizem "estar muito próximos" de descobrir as causas da maleita.


A celulite necrotizante tem afectado as vidas de várias famílias são-tomenses, factor que se agrava devido ao facto de ainda não se terem descoberto antibiótiocos que possam combater a doença. 

Trata-se, no entanto, de uma mera questão de tempo, como revela Kamal Mancinho, um médico português. "Estamos muito próximos de poder ter informação sobre a possibilidade dos agentes desenvolvidos serem bactérias sensíveis a um conjunto de antibióticos que estão disponíveis no país", diz o médico que se deslocou a São Tomé a pedido do governo. 

Nos últimos meses, centenas de pessoas têm sido detectadas com celulite necrotizante. No entanto, apenas 7 foram "totalmente curadas". A doença cria úlceras na pele, danificando fortemente os tecidos.

Com o antibiótico, espera-se que seja fácil curar a maleita. No entanto, Kamal Mancinho afirma que pode haver danos irreversíveis. "Naturalmente que há um grupo de doentes que já tem úlceras muito extensas e cuja cicatrização não depende exclusivamente dos antibióticos que estão disponíveis mas dependem de intervenções cirúrgicas das mais complexas com enxertos e que exigirão um tempo mais prolongado", sublinhou o médico.

Em baixo, confira a declaração de Kamal Mancinho, cedida pela agência Lusa. 

Kamal Mancinho, médico português 26/03/2017 ouvir