rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

ONU Paquistão Índia Caxemira Genocídio Terrorismo Conselho de Direitos Humanos

Publicado a • Modificado a

Paquistão alerta sobre um "possível genocídio" na Caxemira

media
Neste 10 de Setembro, o Ministro paquistanês do Negócios Estrangeiros pediu ao Conselho da ONU para os Direitos Humanos que abra um inquérito sobre as acções da Índia na Caxemira indiana, dizendo recear um genocídio naquela zona. Reuters

Hoje em Genebra, no âmbito da reunião do Conselho da ONU para os Direitos Humanos que decorrer até ao 27 de Setembro, o Ministro paquistanês do Negócios Estrangeiros pediu àquele órgão que abra um inquérito sobre as acções da Índia na Caxemira indiana, dizendo recear que um genocídio naquela zona cuja soberania é disputada pela India e o Paquistão desde as suas respectivas independências em 1947.  


"A população da Caxemira ocupada teme o pior (...) Tremo só de pensar em mencionar o termo de genocídio aí, contudo é o que devo fazer" declarou Shah Mehmood Qureshi perante o Conselho da ONU para os Direitos Humanos, referindo-se a este território que já motivou duas guerras no passado e, ultimamente, foi o rastilho para novas tensões entre os dois irmãos inimigos.

No início do passado mês de Agosto, o governo indiano chefiado pelo nacionalista Narendra Modi, revogou o estatuto especial da Caxemira Indiana, alegando que esta decisão tinha por objectivo libertar do "terrorismo e do separatismo" esse território das Himalaias cuja população é maioritariamente muçulmana. Desde então, Nova Deli tem imposto um controlo apertado naquela zona, com a instauração de um recolher obrigatório, cortes nas ligações telefónicas e na internet.

Um contexto no qual o chefe da diplomacia do Paquistão afirmou que a Índia transformou a Caxemira na "mais vasta prisão do planeta" com mais de 6 mil pessoas "detidas sem outras formas de processos" nas últimas seis semanas, declarou ainda este responsável ao reclamar um inquérito internacional "para traduzir em justiça os autores das violações dos Direitos Humanos".

Expressando-se igualmente perante o Conselho da ONU para os Direitos Humanos, a chefe da diplomacia indiana, Vijay Thakur Singh, alegou que o apertar do controlo na Caxemira é uma medida "temporária" que visa "garantir a segurança perante ameaças terroristas transfronteiriças". Com efeito, tanto Nova Deli como Washington acusam o Paquistão de incentivar grupos jihadistas.

Mais pormenores aqui.

Paquistão alerta sobre um "possível genocídio" na Caxemira 10/09/2019 ouvir