rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo
Urgente
Itália: Primeiro-ministro apresentou a sua demissão

Incêndio Petróleo Barco Golfo Omã Estados Unidos Irão Bolsa de Valores Japão Noruega

Publicado a • Modificado a

2 petroleiros incendiados no golfo de Omã região sob tensão

media
2 petroleiros noruguês e japonês atacados e incendiados no Mar de Omã Reuters

2 petroleiros em fogo, um norueguês e outro japonês, atacados no mar de Omã, em pleno Golfo, região sob alta tensão devido à crise entre os Estados Unidos e o Irão. São ataques repetidos contra petroleiros e instalações petrolíferos nos últimos tempos no golfo e podem perturbar o fornecimento do mercado mundial. Aliás, as principais bolsas mundiais reagiram em alta nos preços do petróleo. 


Primeiro falou-se em avarias de 2 petroleiros norueguês e japonês, segundo os armadores proprietários mas depois ficou claro que os dois barcos foram atacados no estreito de Ormuz no Golfo de Omã, região sob tensão.

Os petroleiros Front Altair et Kokuka Courageous, de bandeira das ilhas Marshall e do Panamá, foram evacuados e suas tripulações estão em segurança.

Segundo o presidente da empresa Kokuka Sangyo, proprietária do Kokuka Courageous, o petroleiro foi atacado duas vezes num espaço de 3 horas e um incêndio deflagrou na casa de máquinas.

Por seu lado, o armador, Bernhard Schulte Shipmanagement, publicou um comunicado indicando que os 21 membros da tripulação, entre russos, filipinos e um ucraniano, abandonaram o petroleiro num bote salva-vidas e recuperados por Costal Ace, navio holandês que os entregou à marinha americana.

A quinta frota americana, com base em Barein, anunciou, ter recebido apelos de radiotransmissões. "Nós estamos ao corrente do ataque de petroleiros no mar de Omã. As forças navais americanas da região receberam apelos dois apelos de ajudae, um às 6h12 horas e outro às 7 horas locais", declarou o seu porta-voz, Joshua Frey.

Bolsas de Valores em alta e reunião do Conselho de segurança

A nível diplomático, os Estados Unidos, pediram uma reunião para hoje dos membros do Conselho de segurança da ONU para analisar a segurança marítima na região.

"É inaceitável que alguém ataque petroleiros e o ataque de hoje no Golfo de Omã levanta muitas preocupações, declarou, Jonathan Cohen, embaixador americano na ONU.

Por seu lado, a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, indicou num comunicado que o Presidente americano, Donald Trump tinha sido informado e que o "governo americano continua a avaliar a situação". 

Também o secretário-geral da ONU António Guterres, advertiu que o mundo não pode permitir um conflito maior no Golfo, condenando "qualquer ataque contra barcos civis" e pedindo "apuramento de responsabilidades".

O Irão indicou ter socorrido 44 membros da tripulação dos 2 petroleiros atacados, após ter recebido apelos de ajuda, precisando que nenhum deles estava ferido.

De notar que o mês passado na mesma região tinha havido ataques semelhantes contra 4 barcos e com o novo ataque o sector petrolífero e bolsas de valores ficaram em estado de excitação.

As principais Bolsas mundiais reagiram em alta com um aumento dos preços do barril de petróleo mas fecharam com os indicadores controlados.  

30% do petróleo mundial passam pelo estreito de Ormuz e se estes ataques continuarem e não baixar a tensão entre os Estados Unidos e o Irão é todo fornecimento do mundo ocidental que fica em perigo.

Os ataques dos 2 petroleiros que pegaram fogo ainda não foram reivindicados e desconhece-se a sua origem.

Ataque de petroleiros no Mar de Omã preocupa comunidade internacional 13/06/2019 ouvir