rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Incêndio Bangladesh Tragédia

Publicado a • Modificado a

Bangladesh: Gigantesco incêndio causa 70 mortos e 55 feridos

media
Vista parcial do entreposto onde se teria declarado o incêndio, na parte velha de Daca, capital do Bangladesh, a 21 de Fevereiro de 2019 REUTERS/Mohammad Ponir Hossain

Pelo menos 70 pessoas morreram, e 55 ficaram feridas, em Daca, capital do Bangladesh, num gigantesco incêndio em prédios de habitação, onde se encontravam armazenados produtos químicos. Este drama deve-se - uma vez mais - ao desrespeito das normas de segurança, neste País.


O incêndio começou ontem à noite, por volta das 22H40, no bairro de Chawkbazar, uma das áreas mais antigas de Daca, a capital do País.

As autoridades acreditam que o drama tenha sido originado pela explosão duma botija de gaz, num prédio, e que as chamas se tenham rápidamente propagado devido ao armazenamento ilegal de produtos químicos, altamente inflamáveis.

O balanço é trágico, mas infelizmente, provisório : 70 mortos, 55 feridos, dos quais 10 em estado grave. Dezenas de pessoas ficaram presas nos edifícios, sem poder escapar pelas ruas estreitas e engarrafadas, à medida que se ouviam explosões, e saiam chamas dos armazéns de produtos químicos.

A incêndio foi tão intenso, que os bombeiros tiveram de lutar durante cerca de douze horas para o apagar. Um bombeiro disse aos repórteres que as proporções gigantescas deste incêndio foram devastadoras devido aos produtos químicos armazenados ilegalmente em apartamentos. 

Este drama deve-se, uma vez mais, ao desrespeito das normas de segurança, no Bangladesh, e lembra outro - ocorrido em 2010 - que tinha causado 120 mortos, e também devido à presença de produtos químicos.

Depois dessa tragédia, as autoridades da cidade anunciaram uma operação para erradicar os armazéns de produtos químicos de áreas residenciais, mas - nos últimos anos - a iniciativa foi abandonada.

Afonso Silva, empresário português em Dacca, em entrevista a Miguel Martins, atribui parte da tragédia às dificuldades na acessibilidade ao local dos meios de socorro.

Afonso Silva, empresário português na capital do Bangladesh 21/02/2019 ouvir