rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

França Coletes Amarelos Granada ofensiva

Publicado a • Modificado a

França : Debate sobre o uso de granadas pela polícia

media
um manifestante ficou gravemente ferido numa mão, diante da Assembleia Nacional francesa, no Sábado 9 de Fevereiro. Zakaria ABDELKAFI / AFP

Depois do debate sobre os lançadores de balas de defesa (LBD), a França debate agora sobre o uso de granadas "de dispersão" pela polícia, durante as manifestações dos chamados « coletes amerelos » : A polícia pode ou não, deve ou não, usar granadas para dispersar os manifestantes ?


As opiniões divergem, como divergiram acerca dos lançadores de granadas de defesa (LGD), visto terem-se registado já muitas vítimas durante as recentes  manifestações dos chamados “coletes amarelos”.

As granadas em questão, são utilizadas pela policia francesa há 15 anos, e são uma arma intermediária, destinada a dispersar a multidão, pois produzem um barulho assustador. Uma vez lançadas, explodem cerca de dois segundos depois.

A sua utilização, pelas forças de segurança francesas, é bastante contestada pelos manifestantes, e sobretudo pelas organizações de defesa dos direitos humanos.

A polémica surgiu depois de um manifestante ter ficado com uma mão esfacelada, no passado Sábado, durante a 13° edição das manifestações contra a política de Emmanuel Macron.

Segundo testemunhas, um manifestante filmava outros manifestantes que tentavam entrar à força na Assembleia Nacional Francesa, em protesto contra a lei anti-vandalismo, aprovada em primeira leitura na semana passada.

As forças de segurança foram obrigadas a intervir, e lançaram gaz lacrimogénio  e granadas para dispersar a multidão. Uma das granadas explodiu quando aquele manifestante tentou afastar - com a mão - uma granada que lhe tinha atingido uma perna.

A vítima perdeu quatro dedos, e recebeu os primeiros-socorros no local, donde foi depois conduzida para o hospital.
 

O Governo francês anunciou que foi aberto um inquérito sobre as circunstâncias deste acidente, ao mesmo tempo que vários jornalistas afirmam também ter sido alvejados pela polícia, com estas granadas.