rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Hamas Israel Palestina Política Cessar-Fogo Benjamin Netanyahu Médio Oriente

Publicado a • Modificado a

Israel: Benjamin Netanyahu salvou Governo

media
Benjamin Netanyahu, Primeiro-ministro israelita. REUTERS/Amir Cohen

O Governo do Primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu esteve por um fio, o que daria lugar a eleições antecipadas. No entanto nesta segunda-feira a coligação conseguiu sobreviver.


O Ministro da Educação, Naftali Bennett, tinha deixado um aviso ao Primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu: ou recebia a pasta da Defesa, ou saía do Governo, o que acabaria com a coligação e que daria lugar a eleições antecipadas. Benjamin Netanyahu recusou essa proposta.

No entanto, nesta segunda-feira, Naftali Bennett, do partido Casa Judaica, recuou nas suas pretensões e já não ameaça sair do Governo afirmando que: "Às vezes ganha-se, às vezes perde-se".

O Governo de Benjamin Netanyahu é uma coligação de partidos de direita, nacionalistas e religiosos.

Quem assumiu, por enquanto, a pasta da Defesa foi o próprio Netanyahu. O Primeiro-ministro tenta reforçar a sua posição, isto após o descontentamento de muitos em Israel, por causa da assinatura de um cessar-fogo na Faixa de Gaza, após uma operação falhada dos militares israelitas no interior do território controlado pelo Hamas.

A actual crise tinha começado com a demissão do anterior ministro da Defesa, Avigdor Lieberman, do partido Israel Nossa Casa, em desacordo com Netanyahu.

De referir que a reviravolta de Bennett surpreendeu a maioria dos comentadores políticos, que apostavam em eleições antecipadas.

O Governo continua assim com uma pequena maioria de 61 deputados num Parlamento de 120.