rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Hamas ONU Israel Faixa de Gaza Egipto Violência António Guterres Trégua

Publicado a • Modificado a

Escalada de tensão na Faixa de Gaza

media
Escalada de tensão na Faixa de Gaza REUTERS/Ronen Zvulun TPX IMAGES OF THE DAY

Israel e os grupos armados palestinianos de Gaza envolveram-se na mais grave confrontação desde 2014. O Hamas avisou hoje que vai continuar a disparar rockets contra as cidades do sul de Israel, se os bombardeamentos na Faixa de Gaza prosseguirem.


Nas últimas vinte e quatro horas pelo menos seis palestinianos perderam a vida e 25 ficaram feridos em resultado da resposta israelita aos centenas de roquetes disparados a partir de Gaza, disparos que já dezenas de feridos em território israelita.

A escalada de violência começou no domingo depois de uma infiltração de alto risco das forças israelitas ter corrido mal, o balanço da operação resultou na morte de sete palestinianos e de um israelita.

Na segunda-feira, o braço armado do movimento islamita-Hamas quis-se vingar, pelas perdas humanos que tinha sofrido na véspera, e lançou um míssil em direcção a Israel o que acabou por ferir gravemente um soldado junto à fronteira.

O disparo lançou um ciclo de bombardeamentos dos dois lados, a mais grave confrontação desde 2014.

O Hamas avisou hoje que vai continuar a disparar rockets contra as cidades do sul de Israel, se os bombardeamentos na Faixa de Gaza prosseguirem.

A escalada de tensão põe em causa os esforços da ONU e do Egipto que nos últimos meses tem trabalhado com vista a alcançar uma trégua duradoura entre Israel e o Hamas.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, apelou ontem a ambos os lados para exercerem um máximo de contenção, num momento em que a comunidade internacional multiplica esforços para tentar evitar uma quarta guerra no espaço de uma década entre Israel e o Hamas.