rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Astronomia Eclipse Lua Planeta África Europa Espaço Astrofísica Ciência

Publicado a • Modificado a

Eclipse lunar total, um fenómeno raro

media
Imagem de Ilustração. REUTERS/Leonhard Foeger

A Terra vai viver mais um momento de “magia” para uns e de “medo” para outros. Durante a noite desta sexta-feira 27 de Julho, a Lua vai estar mergulhada na sombra da Terra. Consequentemente haverá menos luminosidade e o luar terá uma cor mais avermelhada.


A Lua vai estar nesta sexta-feira tapada pela sombra da Terra. Durante o eclipse, a Lua terá uma cor que se aproxima do vermelho nalguns pontos em resultado da luz projectada pelo Sol, é também por isso que este fenómeno é chamado de “Lua de Sangue”.

O eclipse lunar total terá uma duração de cerca de uma hora e 45 minutos, e poderá ser visível de vários pontos no mundo como em África ou ainda na Europa. Para o eclipse ser observável, o céu tem de estar limpo.

O eclipse total da Lua é um fenómeno que ocorre quando a Terra se encontra entre o Sol e a Lua, projectando assim a sua sombra sobre a Lua, que atravessa completamente a sombra da Terra.

Em regra geral, ocorrem dois eclipses do Sol e da Lua por ano. Em 2018, houve um primeiro eclipse total da Lua a 31 de janeiro, mas não foi visível na Europa Ocidental. Aquele que vai ocorrer nesta sexta-feira será o maior até 2100 em termos de duração, segundos os especialistas.

Pedro Machado, investigador do Instituto português de Astrofísica e Ciências do Espaço, explicou-nos as especificidades deste fenómeno.

Pedro Machado, investigador do Instituto português de Astrofísica e Ciências do Espaço 27/07/2018 ouvir

De notar ainda que durante o eclipse, o planeta Marte vai estar mais perto da Terra, a cerca de 57,6 milhões de quilómetros da Terra. No entanto para poder observar esse segundo fenómeno, será necessário ter um telescópio. Uma noite em grande para a Astronomia visto que Marte será, novamente, visível de tão perto apenas em 2035.