rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Desporto Mundial de futebol 2018 Futebol Bélgica Suécia Coreia do Sul Panamá

Publicado a • Modificado a

Mundial 2018: Bélgica, Suécia e Inglaterra com pé direito

media
Romelu Lukaku (direita), avançado belga, apontou dois golos, enquanto Dries Mertens (esquerda), também avançado belga, marcou um tento frente ao Panamá, jogo que a Bélgica venceu por 3-0 a 18 de Junho de 2018. REUTERS/Marcos Brindicci

O campeonato do mundo prossegue na Rússia. Nesta segunda-feira a Bélgica, a Suécia e a Inglaterra acabaram por sair vitoriosas dos seus respectivos embates frente ao Panamá, Coreia do Sul e Tunísia. Quanto às selecções africanas ainda não alcançaram nenhuma vitória.


Suécia, Bélgica e Inglaterra entraram a vencer neste mundial.

Os suecos defrontaram os sul-coreanos e acabaram por vencer por 1-0 com o único golo a ser apontado de grande penalidade pelo defesa Andreas Granqvist.

Um triunfo que permite à equipa europeia subir à liderança do Grupo F, juntamente com o México que derrotou por 1-0 no domingo a Alemanha, detentora do título de campeã mundial.

No que diz respeito à Bélgica não teve grandes dificulades em derrotar o Panamá, país da América Central.

O resultado foi expressivo, 3-0 para os belgas, com golos apontados pelo avançado Dries Mertens e pelo também avançado Romelu Lukaku, este último que bisou tem origens congolesas.

Com este resultado a Bélgica está na liderança do Grupo G.

No que diz respeito às selecções africanas, até agora foi zero pontos em quatro jogos. Nos derradeiros minutos, o Egipto perdeu por 1-0 frente ao Uruguai e Marrocos foi derrotado pelo Irão igualmente pela margem mínima de 1-0.

Quanto ao terceiro representante africano a já ter jogado, a Nigéria, perdeu por 2-0 frente à Croácia.

E a Tunísia foi derrotada, nos últimos instantes da partida, pela Inglaterra, nesta segunda-feira no grupo G.

O resultado final foi de 2 a 1 para os ingleses quando os tunisinos tinham conseguido desde antes do intervalo manter sob pressão com um empate a uma bola.

Harry Kane marcou o golo do alívio para os ingleses, já no período de descontos.

Ele que inaugurara o marcador aos onze minutos, até a Tunísia obter a igualdade aos 35 minutos na transformação de uma grande penalidade por intermédio do médio Ferjani Sassi.

Ouça a Crónica sobre o Mundial 2018.

Crónica de Marco Martins 18/06/2018 ouvir