rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Governo Canadá Estados Unidos México Europa União Europeia Política Comércio Aço Alumínio

Publicado a • Modificado a

Guerra comercial entre EUA, Canadá, México e UE

media
Justin Trudeau, primeiro-ministro do Canadá. ©REUTERS/Chris Wattie

A batalha comercial começou entre os Estados Unidos, os vizinhos Canadá e México, e ainda a União Europeia, isto por causa dos acordos cancelados pelo Governo de Trump no que diz respeito ao aço e ao alumínio.


A decisão do Governo de Donald Trump de não prolongar a isenção para a União Europeia, Canadá e México na importação de aço e alumínio, pelo que estarão sujeitos a tarifas de 25% e 10% respectivamente, está a dar que falar.

Ouçamos a reacção de Justin Trudeau, primeiro-ministro do Canadá.

Justin Trudeau, primeiro-ministro do Canadá 01/06/2018 ouvir

Eis as declarações de Justin Trudeau: "Temos de ser claros. Estas taxas aduaneiras são inaceitáveis. Estas taxas aduaneiras vão prejudicar as indústrias dos dois lados da fronteira entre o Canadá e os Estados Unidos. Também vão perturbar o aprovisionamento que permitiram ao aço e ao alumínio norte-americano ser mais competitivo no mundo. Os norte-americanos continuam a ser os nossos parceiros, os nossos aliados e os nossos amigos. O povo norte-americano não entra em linha de conta nas medidas pronunciadas. Temos de acreditar que o bom senso vai triunfar, mas o problema é que as decisões tomadas pelo Governo dos Estados Unidos não parecem ir nesse sentido".

Entretanto o Canadá já respondeu às novas tarifas decididas por Washington impondo impostos sobre bens norte-americanos no valor de 16 600 milhões de dólares e Justin Trudeau, primeiro-ministro do Canadá, cancelou uma reunião com Donald Trump, o Presidente dos Estados Unidos.

A ministra dos Negócios Estrangeiros do Canadá, Chrystia Freeland, anunciou que as novas tarifas canadianas vão afectar as importações norte-americanas de aço e alumínio, e também bens de consumo, como iogurtes, café, açúcar, entre outros. As novas tarifas entrarão em vigor a 1 de Julho. O Canadá quer pressionar os principais estados dos Estados Unidos que exportam estes tipos de produtos, e que serão os primeiros afectados por estas medidas.

O governo mexicano disse em comunicado que o presidente Enrique Peña Nieto lamenta e expressa a sua rejeição à recente decisão de Estados Unidos de impor tarifas às importações de aço e alumínio. O México também vai adoptar medidas equivalentes às norte-americanas em relação a diversos produtos provenientes dos Estados Unidos.

A União Europeia anunciou, através do presidente da Comissão, Jean-Claude Juncker, que vai denunciar a decisão norte-americana de suspender a isenção dos direitos de importação de aço e alumínio perante a Organização Mundial do Comércio. A UE também afirmou que vai responder de forma proporcional a estas medidas.