rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Acordo França Nuclear Irão Ministro dos Negócios Estrangeiros Bruxelas

Publicado a • Modificado a

Diplomacia iraniana e europeia em defesa do acordo nuclear iraniano

media
Chefe da diplomacia do Irão, Mohammad Javad Zarif, após encontro em Bruxelas com Federica Mogherini, chefe da diplomacia da UE REUTERS/Francois Lenoir

O chefe da diplomacia iraniana conclui hoje em Bruxelas com os seus homólogos, francês, alemão e inglês, o seu périplo em defesa do acordo nuclear iraniano, que tinha iniciado, no último fim-de-semana, em Pequim e Moscovo. Os europeus têm estado a defender a manutenção do acordo, custe o que custar, como defende por exemplo Paris.


Uma semana depois que o presidente americano, Donald Trump, decidiu retirar o seu país do acordo nuclear iraniano, o ministro dos Negócios estrangeiros do Irão, Mohammad Javad Zarif, conclui hoje em Bruxelas, um périplo, que iniciou, no sábado, em Pequim e Moscovo,encontrando-se com os homólogos francês, britânico e alemão.

O chefe da diplomacia iraniana, tenta preservar os interesses do seu país no acordo nuclear e proteger as empresas europeias que ali operam de sanções americanas.

Mohammad Javad Zarif, defendeu, aliás, o mesmo ponto de vista, com a chefe da diplomacia da União europeia, Federica Mogherini, a exemplo, do que fez, em Pequim e Moscovo.

Desde a decisão de Donald Trump que rejeitou o acordo concluído em 2015, pelo ex-presidente Obama e homólogos, da França, Rússia, China, Reino Unido e Alemanha, com o Irão, multiplicaram-se contactos para tentar salvar o documento.

"Há que manter o acordo em todas as suas dimensões, inclusivamente, a dimensão iraniana", defendeu, a semana passada, o chefe da diplomacia da França, Jean-Yves Le Drian, numa entrevista ao "Parisien".

"Nós compreendemos a preocupação dos iranianos, aquela de ver preservadas as vantagens económicas que são uma das contrapartidas do acordo", sublinhou o ministro francês dos Negócios estrangeiros.

O restabelecimento das sanções americanas perocupa os países europeus, como a França, que têm negócios no Irão.

Assim, depois da reunião de hoje dos chefes da diplomacia, do Irão, da França, do Reino Unido e da Alemanha, haverá um encontro informal na quinta-feira, em Sófia, dos 28 chefes de estado e de governo da União europeia, para analisarem a questão iraniana. 

Irão e União europeia à procura de consensos sobre nuclear iraniano 15/05/2018 ouvir