rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Talibãs Afeganistão Daesh atentados NATO Cabul Estado Islâmico Polícia Repórteres sem fronteiras

Publicado a • Modificado a

Afeganistão: mais de 30 mortos em atentados em Cabul e Kandahar

media
Duplo atentado em Cabul 30/04/2018 REUTERS/Omar Sobhani

Duplo atentado suicida hoje em Cabul reivindicado por Daesh causou 26 mortos e cerca de 60 feridos graves, enquanto outro em Kandahar contra uma coluna da Nato matou 11 crianças e feriu 16 pessoas, entre as quais 8 soldados romenos.


Duplo atentado suicida reivindicado pelo auto-denominado Estado Islâmico visou a sede dos serviços secretos afegãos na capital Cabul e causou pelo menos 26 mortos e cerca de 60 feridos graves, segundo as autporidades afegãs.

Separados por 30 minutos, o segundo ataque em Cabul causou a morte de pelo menos 4 polícias e de 9 repórteres, que se tinham deslocado ao local após o primeiro atentado e em comunicado o grupo jihadista afirma que este visava "os apóstatas das forças de segurança e dos mídia".

Atentados mortíferos em Cabul e Kandahar 30/04/2018 ouvir

O outro atentado ainda não reivindicado, visava uma coluna militar da NATO e ocorreu no final da manhã de hoje (30/04) perto do aeroporto de Kandahar, no sul do país, tendo causado a morte de pelo menos 11 crianças, que estudavam numa escola religiosa situada perto do aeroporto e 16 feridos, entre os quais 8 soldados romenos e 2 polícias afegãos.

Entre os jornalistas mortos esta segunda-feira figuram os afegãos Shah Ahmad da BBC morto a tiro em Khost no sudeste do país e Shah Marai, que chefiava o departamento fotográfico da Agência France Press - AFP - em Cabul, agência que saúda a coragem, profissionalismo e generosidade deste foto-jornalista, que há mais de 20 anos testemunhava sobre a tragédia que assola o seu país.

Segundo a ong Repórteres Sem Fronteiras este foi o atentado mais mortífero contra jornalistas desde a queda dos talibãs em Dezembro de 2001.

Estes ataques ocorrem no momento em que os talibãs lançaram oficialmente na passada quarta-feira (25/04) a sua tradicional "ofensiva de primavera", rejeitando assim implicitamente os apelos lançado pelo Presidente Ashraf Ghani para negociações de paz "sem condições prévias".

Cabul é segundo a ONU o lugar mais perigoso do Afeganistão para os civis, com frequentes atentados reivindicados ora pelos talibãs, ora pela organização jihadista Daesh.

Nos três primeiros meses de 2018 registaram-se só em Cabul 763 mortes e 1.495 feridos, o dobro comparativamente ao mesmo período do ano anterior.