rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

França Parlamento Europeu Estrasburgo Emmanuel Macron Presidente Marisa Matias Eurodeputados

Publicado a • Modificado a

Macron: "o pequeno Napoleão"

media
Emmanuel Macron no Parlamento Europeu, Estrasburgo. AFP/Frederick Florin

A eurodeputada portuguesa do Bloco de Esquerda, Marisa Matias acusou o chefe de Estado francês de se ter comportado como um “pequeno Napoleão” ao decidir atacar a Síria, juntamente com EUA e Reino Unido.


Presidente francês, Emmanuel Macron, falou ontem pela primeira vez diante do Parlamento Europeu. Na intervenção, Macron defendeu que a operação militar do passado sábado, realizada pelos Estados Unidos, França e Reino Unido na Síria, foi legítima e considerou que não se pode compara-la às intervenções em países com o Iraque e Líbia.

Argumento que não convenceu a eurodeputada portuguesa do Bloco de Esquerdo, Marisa Matias, que acusou o chefe de Estado francês de se ter comportado como um «pequeno Napoleão».

“Veio fazer uma declaração de amor à democracia, disse mesmo que a democracia não era uma palavra oca e eu pergunto-lhe: que democracia? A democracia que decidiu executar há menos de uma semana, quando unilateralmente com Trump e May avançou para o ataque sobre a Síria sem consultar rigorosamente ninguém?", questionou a eurodeputada.

Marisa Matias que intervinha no debate no Parlamento Europeu sobre o "Futuro da Europa" disse que as últimas decisões do chefe de Estado revelam um desrespeito pelos cidadãos e pelas instituições francesas e europeias.

“A sua concepção de democracia não tem cidadãos? Não tem parlamentos? Não ouviu sequer a assembleia francesa? Ridicularizou as instituições europeias. É essa a sua concepção de democracia? Senhor Presidente, a sua concepção de democracia não é oca, é inexistente. A sua concepção de democracia é napoleónica", referiu Marisa Matias.

A eurodeputada portuguesa do Bloco de Esquerda aconselhou ainda Emmanuel Macron a deixar de vender armas se deseja de facto a paz no Médio Oriente.

"Se o senhor quer paz no Médio Oriente, tem um bom remédio: pare de vender armas. Está numa óptima posição para fazê-lo", concluiu a eurodeputada portuguesa do Bloco de Esquerdo, Marisa Matias.