rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Conferência Kuwait Iraque Jihadismo Reconstrução

Publicado a • Modificado a

Iraque: 88 mil milhões de dólares para reconstruir o país

media
Mossoul, segunda cidade iraquiana, destruída pelos combates AHMAD AL-RUBAYE / AFP

Início esta segunda-feira de uma conferência sobre a reconstrução do Iraque. Durante três dias, Bagdade conta com os doadores internacionais e também com o sector privado para se recuperar de três anos de ocupação jihadista.  


No encontro que decorre no Kuwait, o ministro iraquiano do Planeamento estimou que o seu país precisa de, pelo menos, 88,2 mil milhões de dólares (71,9 mil milhões de euros) para se reconstruir: “Com base num estudo de avaliação realizado por especialistas iraquianos e internacionais, estimamos que as necessidades de reconstrução total no Iraque são de 88,2 mil milhões”, afirmou Salmane al-Joumeili na abertura da conferência internacional. Estas verbas “servirão em primeiro lugar para criar mecanismos para acolher as pessoas deslocadas e para reabilitar os serviços públicos”, acrescentou.

Os responsáveis iraquianos vão aproveitar estes três dias para apresentar 157 projectos. É preciso construir milhares de casas, investir nas indústrias petrolífera e petroquímica e na agricultura. Entre os projectos mais caros destacam-se duas linhas ferroviárias, Bagdade-Bassorah et Bagdade-Mossoul, assim como um metro para a capital.

Segundo o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, a reconstrução do Iraque deve permitir financiar o retorno “voluntário” de milhões de pessoas deslocadas por causa da guerra.

Esta manhã, organizações não-governamentais – a maioria kuwaitianas – anunciaram um levantamento de fundos para apoiar as operações humanitárias, 330 milhões de dólares, dos quais 130 milhões de dólares provenientes do Comité Internacional da Cruz Vermelha.

Amanha, terça-feira, será o momento da conferência se apresentar ao sector privado e a quarta-feira será consagrada aos anúncios por parte dos Estados participantes dos montantes das suas contribuições financeiras.

Quem marca presença na conferência sobre a reconstrução do Iraque é o chefe da diplomacia francesa. Jean-Yves Le Drian deslocou-se, esta segunda-feira, a Bagdade para assegurar aos responsáveis iraquianos o “apoio francês”.

O ministro dos Negócios estrangeiros de França participa, amanhã, numa reunião da coligação internacional anti-jihadistas no Kuwait, na presença do seu homólogo americano Rex Tillerson, e onde 74 países e organizações estarão representados.