rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Paris COP 21 Mudanças Climáticas Estados Unidos Donald Trump Coreia do Norte

Publicado a • Modificado a

Trump põe condições para reintegrar acordo de Paris sobre o clima

media
Presidentes americano, Trump e Macron, ao telefone, antes da visita do chefe de Estado francês à China Photo d'illustration

O presidente americano Donald Trump, mostra-se mais flexível, em relaçao à Coreia do Norte e ao acordo de Paris sobre o clima, o que é interpretado por certos certos círculos, como uma abertura, mas que na verdade é mais táctica de negociação. Trump pode conversar com o seu homologo norte coreano e reintegrar o acordo de Paris, sob certas condições.


Durante uma conferência de imprensa conjunta, esta quarta-feira à noite, (10) na Casa Branca, o presidente americano Donald Trump que recebia a primeira-ministra norueguesa, Erna Solberg, declarou ter falado ao telefone com o seu homólogo sul-coreano, Moon Jae-In, que perspectiva uma cimeira com o Pyongyang.

Donald Trump, que respondia a jornalistas, sublinhou ainda que não tem problemas nenhuns em falar com qualquer país do mundo, desde a Rússia, Paquistão, India, e que, portanto, está aberto a conversações entre os Estados Unidos e a Coreia do norte, se houver condições para tal.

Certos analistas consideram que Donald rump, não descarta a possibilidade de falar ao telefone com o presidente da Coreia do Norte, Kim Jong-Un.

Mas, a filosofia central de Donald Trump, sobre a Coreia do Norte, não modificou e no último fim-de-semana, repetiu, num discurso, em Nevada, que tem de haver uma desnuclearização da Coreia do Norte e que os Estados Unidos têm de ser respeitados.

Ora bem, o presidente norte-coreano, Kim Jong-Un, mostra-se interessado em conversar com Seul e enviar uma delegação aos próximos Jogos Olípimpicos de Inverso, em Fevereiro, na Coreia do Sul, mas continua a reivindicar o direito do seu país ser uma potência nuclear na cena internacional.

Outro tema que Trump, abordou, na conferência de imprensa, foi a possibilidade de poder regressar a integrar o acordo de Paris sobre o clima.

Donald Trump, declarou não ser contra o acordo em si, mas contra a maneira como Obama o negociou, penalizando os Estados Unidos, em relação à China ou a Rússia.

Mas, se houver uma compreensão do nosso ponto de vista, nomeadamente, a possibilidade de podermos fazer negócios competitivos nesta área, pode haver uma redefinição da nossa posição, disse Donald Trump.

Mas foi sublinhando que estes aspectos devem ser tidos em conta, porque não permitirá que o seu país seja penalizado.

Aliás, o Presidente americano, falou ao telefone, com o chefe de Estado francês, Emmanuel Macron, antes deste visitar a China, e, como é evidente, abordaram estes dois assuntos, a Coreia do Norte e o acordo de Paris sobre o clima.