rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Asean Filipinas Donald Trump Cimeira Manifestação Protestos Estados Unidos

Publicado a • Modificado a

PR americano Trump em Manila para a cimeira da ASEAN

media
Trump no jantar de gala dos 50 anos da ASEAN, reunida em cimeira em Manila, Filipinasathan Ernst REUTERS/Jonathan Ernst

O presidente americano, Donald Trump, participa, este domingo, em Manila, capital das Filipinas, na cimeira anual da ASEAN, Associação das nações da Ásia do sudeste. Trump, que ia do Vietname, conclui, nas Filipinas, um périplo que já o tinha levado ao Japão, Coreia do Sul e China, marcado pela assinatura de acordos de biliões de dólares e denúncia da ditadura da Coreia do do Norte.


Donald Trump, presidente americano, participa na 31.ª cimeira da ASEAN, Associação das nações da Ásia do sudeste, que foi declarada aberta, este domingo, 12, pelo chefe de Estado anfitrião, Rodrigo Duterte.

Trump, conclui, pois, nas Filipinas, o seu périplo de 12 dias à Ásia, que já o tinha levado ao Japão, Coreia do Sul, China e Vietname, onde participou igualmente na cimeira da APEC, assim como o seu homólogo filipino, que agora o recebe.

Rodrigo Duterte, declarou na abertura da cimeira da ASEAN, que era um "privilégio receber os membros da organização asiática, que comemora os 50 anos da sua criação" e, reunida, de 12 a 14 de novembro em Manila, na sua 31.ª edição.

"Defendemos uma economia global e enquanto comunidade na diversidade, apostamos na partilha e solidariedade, com base nos valores e crenças comuns", declarou o presidente filipino, Rodrigo Duterte, na abertura da cimeira da ASEAN.

Analistas consideram que o presidente americano, fará acordos comerciais e de cooperação com as Filipinas, a exemplo, do que fez nos outros países asiáticos visitados e que representam biliões de dólares.

Nas Filipinas, as negociações poderão ser mais difíceis, devido à nova estratégia do Presidente Rodrigo Duterte que se vira mais para a Rússia e a China, desde a chegada à Casa Branca de Donald Trump, cuja política criticou e denunciou com uma rectórica extremamente agressiva.

Mas, antes de Trump e Duterte, as relações entre os Estados Unidos e as Filipinas eram excelentes e históricas e é nesta base que observadores consideram que a animosidade entre os dois presidentes será ultrapassada pelos interesses comuns dos seus dois países.

Uma animosidade que se viu igualmente nas ruas de Manila, com protestos contra a visita de Trump de manifestantes que queriam atacar a Embaixada americana, mas impedidos pela polícia anti-motim.

Donald Trump, aproveitará esta cimeira da ASEAN, que é sobretudo, sobre  economia e comércio, para reforçar os seus apelos a acordos comerciais bilaterais, a exemplo, do que fez, em APEC, no Vietname, ou na China, Japão e Coreia do sul.

Não deixará de voltar a condenar as provocações nucleares da Coreia do Norte, dizendo aos membros da ASEAN, que têm todo o interesse em isolar o ditador Kim Jong-un, para poderem viver na paz e com  crescimento económico, criando riquezas para os seus povos, enquanto o povo norte-coreano vive na miséria e sem direito à dignidade e liberdade. 

Presidente Trump na cimeira da ASEAN, em Manila 12/11/2017 ouvir