rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Turquia Rússia NATO Defesa

Publicado a • Modificado a

Ancara compra sistemas antiaéreos russos

media
Sistema antiaéreo S-400 exposto num fórum militar em Moscovo no passado mês de Agosto. Alexander NEMENOV / AFP

O Presidente turco Recep Erdogan confirmou hoje que o seu país assinou com a Rússia um contrato relativo à compra de sistemas de defesa antiaéreos S-400, num contexto em que se têm multiplicado as fricções de Ancara com os restantes membros da Aliança Atlântica.


Com a assinatura deste acordo, Ancara e Moscovo parecem estar numa fase de reaproximação apesar da Turquia e da Rússia não concordarem sobre uma série de questões. Entre os pontos de desacordo, podem-se enumerar nomeadamente a questão da Síria e o destino a reservar ao presidente Bachar El Assad, a gestão do dossier da Crimeia, bem como as trocas pouco amistosas aquando do abate em Novembro de 2015 de um caça russo pelo exército turco.

Estes aspectos ficaram todavia para trás, o que não tem deixado de suscitar questionamentos entre os parceiros da Turquia no seio da NATO, interrogações às quais Recep Erdogan respondeu hoje declarando que os turcos "tomam individualmente as decisões que dizem respeito à sua independência". Com esta compra de mísseis russos, semelhantes àqueles utilizados na Síria e na Crimeia, a Turquia adquire um sistema através do qual pode tornar inacessíveis largas parcelas de território e formar uma espécie de bolha de protecção constituída por radares e mísseis com 400 quilómetros de alcance.

Por enquanto não se conhece o volume de aquisição deste armamento pela Turquia nem o prazo para a sua entrega efectiva, muito embora a Rússia tenha confirmado que está na iminência de cumprir a sua parte do acordo. O certo é que isto acontece numa altura em que Ancara tem mostrado sinais de descontentamento com as opções tomadas pela NATO, nomeadamente o apoio dado pelos Estados Unidos às milícias curdas na Síria, os curdos sendo considerados pela Turquia como os seus maiores inimigos.

Na óptica de Djenirah Couto, especialista do Médio Oriente ligada à Escola de Altos Estudos em Ciências Sociais aqui em Paris, a Turquia pretende mostrar com a assinatura deste acordo com a Rússia que tem parceiros alternativos.

Djenirah Couto, especialista do Médio Oriente ligada à Escola de Altos Estudos em Ciências Sociais em Paris 12/09/2017 ouvir