rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Venezuela Justiça Acusações Procuradora-Geral Luisa Ortega Nicolás Maduro Hugo Chávez

Publicado a • Modificado a

Luisa Ortega diante da justiça venezuelana

media
Luisa Ortega diante da justiça venezuelana Reuters

A Procuradora-geral da Venezuela, Luisa Ortega, comparece esta terça-feira diante Supremo Tribunal que vai decidir se Procuradora vai ou não ser julgada, o que pode conduzir à sua destituição.


O futuro da Procuradora-geral da Venezuela de 59 anos, a mais alta figura a desafiar o Presidente Nicolás Maduro, pode decidir-se hoje diante da justiça. A audiência está marcada para às 10 horas locais.

O Supremo Tribunal que vai decidir se Procuradora vai ou não ser julgada, o que pode conduzir à sua destituição.

Luisa Ortega é acusada de ter cometido "erros graves no exercício da sua função". As acusações são do deputado Pedro Carreño, partido socialista, que avança com a queixa.

O deputado exige igualmente que seja examinada a saúde mental da Procuradora " está claro que esta senhora não está em posse de todas as suas faculdades", refere Pedro Carreño.

Enquanto aguardou a audiência, Luisa Ortega foi proibida de abandonar o território e os seus bens foram congelados. 

Em causa estão as críticas que a Procuradora-geral tem feito ao Presidente Maduro. As declarações de Luisa Ortega são pouco comuns para alguém que é vista como sendo do campo do antigo Presidente Chávez.

O regime receia que as palavras da Procuradora possam vir a aumentar as dissidências entre os chavistas. Apesar de continuar a beneficiar do apoio precioso dos militares, o chefe de Estado está a ser confrontado, desde há três meses, com várias manifestações que provocaram até ao momento cerca de 90 mortos.

A população acusa o chefe de Estado de ser o responsável pela crise económico na qual o país está mergulhado.