rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Paquistão Tragédia Morte Estradas Ásia África Lusófona

Publicado a • Modificado a

Paquistão: catástrofe numa autoestrada faz mais de 145 mortos

media
Local do incêndio depois de explosão do camião, a 25 de junho de 2017, no sul do Paquistão. Reuters

Autêntica catástrofe, este domingo, com um camião-cisterna a capotar, numa auto-estrada do sul de Paquistão, explodindo, matando, pelo menos, 146 pessoas, muitas delas, regressando às suas casas, fim da festa maior muçulmana do Ramadão.


Pelo menos 146 pessoas morreram este domingo, 25, e cerca de 100, ficaram feridas, quando um camião-cisterna de hidrocarbonetos, capotou, explodindo e provocando um grande incêndio, numa auto-estrada, perto da cidade de Ahmedpur oriental, a 500 quilómetros, a sul de Lahore.

Esta catástrofe aconteceu quando o tráfego está congestionado, em estradas e auto-estradas do país, de carros de famílias, regressando aos seus lares, após a festa muçulmana do Eid-al-Fitr, que marca o fim do mês sagrado do Ramadão.

O camião transportava cerca de 40.000 litros de gasolina do porto de Karachi, até Lahore.

A maior parte das vítimas tinha acorrido ao local do acidente, com bidões para recolher o precioso líquido, quando o camião explodiu, provocando um imenso incêndio, devorando, pessoas, carros e viaturas diversas.

A polícia rodoviária alertada entretanto chegou ao local do drama, mas, apesar do esforço, não conseguiu afastar as pessoas, à procura de combustível para as necessidades do dia-a-dia.

Com a propagação do incêndio, eram mais vidas ceifadas, mas também, destruíção de bens materiais, como carros e motos, estacionados nas redondezas, que ficaram carbonizados.

"Estamos sob choque", "para que serve agora o combustível que temos nos bidões, depois de toda esta tragédia", declararam ou questionaram alguns sobreviventes, desta tragédia, que até ao momento, fez 146 mortos e uma centena de feridos, dos quais 80% em estado muito grave.

Devido à gravidade dos feridos, o número de mortos está em crescendo aumento.

Hospitais da região estão em estado de alerta e superlotados de feridos que a polícia evacuou de helicópteros.

A polícia, mas também o exército, foram mobilizados, para transportar, feridos e sobreviventes, enquanto ficava sob custódia policial, o condutor do camião cisterna.

O paquistanês médio é mau aluno em matéria de segurança rodoviária, devido ao mau estado das estradas e à vetustez das viaturas circulando no país.

As autoridades máximas do país, como o Presidente e o primeiro-ministro, reagiram com pesar e profunda tristeza, enviando, mensagens de conforto e de condolênciais, aos familiares e toda a nação.

Recorda-se, enfim, que em 2015, pelo menos 62 pessoas, nomeadamente um grande número de crianças, tinham morrido no sul do Paquistão, quando um autocarro chocou com um camião-cisterna, desencadeando um enorme incêndio.

João Matos sobre tragédia rodoviária no Paquistão 25/06/2017 ouvir