rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

França Assassínio Ghislaine Dupont Claude Verlon Mali Aqmi RFI

Publicado a • Modificado a

Novos elementos sobre o assassinato de Ghislaine Dupont e de Claude Verlon no Mali

media
Claude Verlon e Ghislaine Dupont. RFI

O canal televisivo France 2 difunde esta noite um programa de investigação alegando que os dois repórteres da RFI, Ghislaine Dupont e Claude Verlon, raptados e assassinados no norte do Mali a 2 de Novembro de 2013, teriam sido executados em represálias pelo incumprimento do pagamento de um resgate pela libertação de outros 4 reféns ocidentais, os chamados "reféns de Arlit", soltos apenas 4 dias antes do assassinato dos nossos colegas.  


Segundo as revelações desta reportagem sobre este caso que até agora nunca chegou a ser esclarecido, o indivíduo que reivindicou o duplo assassinato é o mesmo que manteve em detenção os reféns de Arlit. Este inquérito que demorou um ano a ser efectuado, contou com os testemunhos de um antigo diplomata, um antigo responsável dos serviços secretos franceses e negociadores da libertação dos reféns de Arlit, sustenta a tese segundo a qual Ghislaine Dupont e Claude Verlon poderiam ter sido as vítimas colaterais de uma autêntica guerra entre diversos sectores dos serviços de inteligência, redes e intermediários em França e no Mali.

Nesta reportagem que se baseia igualmente em notas confidenciais do exército francês, sugere-se que 30 milhões de Euros que deviam supostamente ser pagos pelos reféns de Arlit poderiam não ter sido pagos na íntegra, possivelmente por terem sido parcialmente desviados ou porque os serviços de inteligência franceses recusaram remunerar uma série de intervenientes neste processo. Esta eventualidade poderà enfurecido os autores do rapto e assassinato dos nossos colegas que, segundo a tese defendida por esta reportagem, poderiam ter sido vítimas de um acto de vingança.

Em entrevista à RFI, Geoffrey Livolsi, um dos dois autores desta investigação comentou precisamente as alegações de um dos entrevistados que se queixou de não ter recebido as quantias almejadas para libertar os "reféns de Arlit".

O jornalista Geoffrey Livolsi, autor da reportagem sobre o assassinato dos nossos colegas 26/01/2017 ouvir