rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Davos Fórum Economia Desigualdade Paraíso fiscal ONG

Publicado a • Modificado a

Davos debate desigualdades económicas

media
Davos debate desigualdades económicas Valeriano Di Domenico/ World Economic Forum

Arranca esta terça-feira o 47.º Fórum Económico Mundial que reúne todos os anos em Davos, nos Alpes Suíços, empresários, líderes políticos, ONG's e personalidades da sociedade civil. Este ano o tema central são as desigualdades económicas e tem a China como convidado de honra.


Mais de 3000 participantes, entre empresários, líderes políticos, ONG'S e sociedade civil, reúnem-se esta terça-feira na em Davos, uma pequena estação de ski nos alpes suíços, para falarem sobre as desigualdades na distribuição das riquezas.

Um tema da actualidade e que é sustentado no relatório publicado, esta segunda-feira, pela ONG britânica Oxfam. De acordo com documento, nos últimos cincos anos, os rendimentos médios anuais recuaram 2,4% ou seja menos 284 dólares por habitante. Ainda segundo o relatório as oito pessoas mais ricas do mundo concentram mais dinheiro do que a metade mais pobre da população mundial – 3,6 mil milhões de pessoas.

O crescimento não é para todos

Neste desequilíbrio de forças a Oxfam aponta o dedo às multinacionais "há um crescimento a nível mundial, mas é muito exclusivo e beneficia uma ínfima parte da população", sublinha Max Lawson, conselheiro político da organização.

OXFAM denuncia igualmente as pressões sobre os salários, os benefícios fiscais atribuídas pelos Estados e ainda os paraísos fiscais: “Muitos, muitos multimilionários quase não pagam impostos, utilizam os paraísos fiscais para esconderem o dinheiro. Temos uma situação em que os multimilionários pagam proporcionalmente menos impostos que as empregadas de limpeza ou as secretárias que empregam. É uma loucura. Assistimos à canalização da riqueza para cima”, concluiu.

Multinacionais atentas às desigualdades

Em Davos, os patrões das multinacionais não se mostram indiferentes a esta problemática. A prová-lo está o estudo do gabinete Price Watherhouse Cooper que publica a visão dos empresários sobre a evolução do clima de negócios à escala mundial e para os próximos meses. Entre as principais preocupações dos empresários está o aumento da instabilidade social nos últimos três anos e 44% dos inquiridos reconhece que a Globalização não contribuiu para reduzir as desigualdades entre ricos e pobres.

Este ano o tema central do 47.º  Fórum económico mundial são as desigualdades e tem como convidado de honra a China.