rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Separatistas Turquia atentados Curdos Terrorismo Grupo Estado Islâmico Síria Iraque

Publicado a • Modificado a

Detenção de 235 militantes curdos depois do duplo atentado em Istambul

media
Istambul está sob alta vigilância desde do duplo atentado de Sábado. REUTERS/Murad Sezer

As autoridades turcas procederam à detenção de 235 militantes curdos, entre os quais responsáveis do Partido Democrático dos povos -HDP- pelos seus alegados elos com o activismo armado curdo, na sequência do duplo atentado cometido em Istambul na noite de Sábado. Estes ataques que segundo um último balanço custou a vida à 44 pessoas, dos quais 36 agentes da polícia de choque, e causou 150 feridos, foram reivindicados pelo grupo extremista TAK, Falcões pela Liberdade do Curdistão.


Na noite de Sábado, um veículo armadilhado explodiu junto ao estádio do clube de futebol Besiktas, cerca de duas horas depois de um jogo ter sido ser là disputado. Apenas um minuto depois dessa primeira explosão, outra aconteceu num parque junto a esse complexo desportivo. Estes ataques que sucedem a uma série de outros atentados nestes últimos meses nessa cidade como também em Ancara, a capital, aconteceram num momento em que o país está a atravessar um período de grande instabilidade na sequência da tentativa de golpe de Estado passado mês de Julho.

Este duplo atentado acontece também e sobretudo numa altura em que a reconquista progressiva dos territórios nas mãos do Estado Islâmico nos vizinhos Iraque e Síria estão a fazer emergir um possível novo mapa para a região, um mapa sobre o qual a Turquia entende ter a sua palavra a dizer, considera Maria João Tomás, especialista do Médio Oriente ligada ao Instituto de Estudos Estratégicos e Internacionais de Lisboa, para quem a instabilidade na Turquia veio para ficar.

Maria João Tomás, especialista do Médio Oriente ligada ao Instituto de Estudos Estratégicos e Internacionais de Lisboa 12/12/2016 ouvir