rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Assalto Mossul Iraque Daesh Estado Islâmico Coligação Internacional Síria África

Publicado a • Modificado a

Queda futura de Mossul etapa para reconfiguração do Iraque

media
Forças do exército iraquiano em Bartila, rumo ao assalto de Mossul, Iraque. REUTERS

O Chefe de estado francês, François Hollande, defendeu na conferência internacional de Paris, sobre Mossul, que a queda da cidade iraquiana, tem de ser vista como um desafio militar mas também para preparar o Iraque do futuro.


O Presidente francês, François Hollande, advertiu hoje (20) na conferência internacional de Paris, sobre Mossul,  que, após a tomada desta cidade iraquiana, pelas forças iraquianas e a coligação interenacional, a próxima etapa terá de ser Raqa, no norte da Síria, onde se refugiaram dirigentes do estado islâmico.

Hollande, falava no quadro da reunião internacional em Paris, sobre a cidade iraquiana de Mossul, com participação Rússia, Estados Unidos e a União europeia, no momento em que está em curso uma operação lançada pelas forças iraquianas e a coligação internacional para tomar Mossul, feudo dos jiadistas.

"A batalha de Mossul é decisiva porque atinge Daesh no coração do seu santuário. O desafio de Mossul é um desafio militar, um desafio humanitário e um desafio político.

"Não devemos olhar para Mossul só como um desafio militar. Devemos sim olhar para Mossul, como a preparação de um Iraque do futuro", sublinhou o presidente francês, François Hollande.

O chefe de estado francês, sublinhou ainda que tarefa da coligação anti-estado islâmico nao acabará com a queda de Mossul, pelo que há que avançar também para a cidade de Raqa, na Síria, donde partirão ordens visando atacar a Europa.

Joao Matos e a conferência internacional de Paris sobre Mossul 20/10/2016 ouvir