rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Comunidade Internacional Batalha Assalto Mossul Iraque Rússia Estados Unidos África

Publicado a • Modificado a

Batalha pela tomada de Mossul no Iraque

media
Forças iraquianas a leste de Mossul, no Iraque, a 19 de outubro de 2016, com chefes jiadistas em fuga. REUTERS/Azad Lashkari

Está lançada a batalha para a tomada da cidade de Mossul, no Iraque, pelo exército iraquiano e aliados, cidade nas mãos dos jiadistas do estado islâmico, desde 2014, mas cujos chefes já a abandonaram.


Chefes jiadistas do Daesh, abandonaram a cidade de Mossul, atacada pelas forças iraquianas e a coligação internacional,no Iraque, deixando a sua defesa a cargo de jiadistas estrangeiros.

Aliás, os Estados Unidos admitiram este cenário de abandono de chefes jiadistas.

"Nós vimos movimentação de responsáveis e combatentes do ISIS do Estado islâmico a abandonar a cidade onde só ficaram combatentes estrangeiros, declarou o general americano, Gary Volesky da coligação internacional, no Iraque.

Também a Rússia advertiu para uma eventual fuga de jiadistas para a cidade iraquiana de Tal Afar, no oeste ou mesmo a Síria.

O presidente russo, Putin informou, entretanto, sobre os últimos preparativos, o presidente turco, Erdogan, que insiste em fazer parte da coligação, apesar de vivas tensões entre Ancara e Bagdade.

O presidente Putin, deseja sucessos ao exército iraquiano e seus aliados, afirma um comunicado do Kremlin.
 

As forças iraquianas lançaram na madrugada de domingo para segunda-feira desta semanada, uma ofensiva contra Mossul, com o objectivo de tomar a cidade, nas mãos dos jiadistas do estado islâmico, desde 2014.

Mossul, que teve até agora, entre 3 mil a 5 mil combatentes jiadistas, ainda não está totalmente cercada pelo exército iraquiano e seus aliados. A ver vamos.

João Matos sobre a batalha de Mossul no Iraque 19/10/2016 ouvir