rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Portugal Madeira Saúde Vírus Zika Epidemia

Publicado a • Modificado a

O risco de transmissão do Zika na Madeira é pequeno

media
OMS alerta para o risco do vírus Zika chegar à Madeira Venilton Kuchler/ ANPr

A Presidente do Instituto de Administração da Saúde da Região autónoma da Madeira, Ana Nunes, disse hoje em entrevista à RFI que o risco de transmissão local do vírus Zika é pequeno porque actividade do mosquito é baixa neste momento.


Ana Nunes reagiu assim ao apelo da Organização Mundial da Saúde que, esta semana, pediu vigilância aos países europeus mais expostos ao risco de propagação do vírus Zika com a chegada do verão. A OMS diz que há um risco "baixo a moderado" de surto de Zika na Europa e acrescenta que a ilha portuguesa da Madeira ou os países à volta do Mar Negro devem aumentar os níveis de prevenção da doença.

A Presidente do Instituto de Administração da Saúde da região autónoma da Madeira, explicou que o pelo facto de existir na região o mosquito Aedes aegypti faz com que a exposição seja maior. "É natural que tendo o vector que é transmissor do Zika, Dengue ou Chikungunya que a exposição à entrada de alguém portador do vírus pode acontecer".

Ana Nunes diz que as autoridades de saúde em Portugal, nomeadamente na região, mantém a vigilância apertada desde 2005. " As autoridades estão a fazer o trabalho quer a nível entomológico quer a nível epidemiológico desde a altura em que tivemos a presença do mosquito 2005/2006. É conhecido que nós tivemos um surto de Dengue em 2012 e nessa altura foi incrementado um trabalho maior no âmbito da vigilância".

A vigilância foi a palavra escolhida pela directora regional da OMS para a Europa, Zsuzsanna Jakab, ao pedir aos países com risco maior para reforçarem as capacidades nacionais e as actividades que previnam um grande surto de Zika. A Região Europeia da OMS abrange 53 países e quase 900 milhões de pessoas. Vai desde o oceano Árctico até ao Mar Mediterrâneo, a sul, do Atlântico, a oeste, até ao Pacífico, a leste.

A Presidente do Instituto de Administração da Saúde da Região autónoma da Madeira ressalva a ideia de que o risco de transmissão local é pequeno. " A região não tem doença, a região tem o vector. Não temos nenhum caso autóctone desde 2013, o risco de transmissão local é pequeno, porque a actividade do mosquito é baixa".

Ana Nunes, presidente do Instituto de Administraçao da Saúde da região autónoma da Madeira 20/05/2016 ouvir