rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Ébola Doença Vírus Medicina Saúde África Morte Remédio Epidemia

Publicado a • Modificado a

Agência Europeia vai revisar tratamentos experimentais contra Ebola

media
Epidemia do vírus Ebola já deixou mais de 2.900 mortos no oeste da África este ano. REUTERS/Luc Gnago

A Agência Europeia do Medicamento (EMA, sigla em inglês) anunciou nesta sexta-feira (26) que começará a examinar todos os tratamentos experimentais contra o Ebola. O objetivo é ajudar as autoridades sanitárias a aprovar um medicamento efetivo contra a doença.


De acordo com um comunicado divulgado hoje, a agência, baseada em Londres, começou a revisar todas as informações disponíveis até o momento sobre os tratamentos contra o vírus Ebola. “Queremos fornecer um panorama completo das informações sobre os diferentes medicamentos experimentais para ajudar as autoridades sanitárias em suas decisões”, declara o diretor-executivo da organização, Guido Rasi.

A EMA explica que alguns tratamentos mostraram resultados animadores nos laboratórios ou nos testes com animais, mas seus efeitos ainda não foram estudados nos seres humanos. “As autoridades sanitárias e os médicos que devem tomar a decisão de utilizar ou não um remédio não aprovado em um paciente vítima do Ebola precisam de uma informação independente”, reitera Rasi.

Assim, o Comitê de Medicamentos para Uso no Homem (CHMP) do EMA vai compilar todos os detalhes sobre os tratamentos experimentais disponíveis atualmente. Os principais pontos a serem avaliados são a eficácia, a inocuidade e a qualidade.

Vários remédios antivirais e vacinas estão sendo desenvolvidos para tentar frear a pior epidemia do Ebola na África desde que o vírus foi descoberto, em 1976. Os resultados sobre a eficácia dos primeiros tratamentos estão previstos para novembro.

De acordo com o último boletim da Organização Mundial da Saúde (OMS), a doença já matou 2.917 pessoas.