rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Festa Homenagem Reveillon

Publicado a • Modificado a

Réveillon é marcado por homenagem a vítimas no mundo árabe e votos de menos crise na Europa

media
Passagem de ano em Atenas com fogos de artifício na Acrópole. Reuters

A "Primavera Árabe" esteve presente nos espíritos de muita gente na passagem de ano em países no norte da África e no Oriente Médio. No Cairo, um concerto foi organizado em memória aos mortos na revolução que culminou com a queda do ditador egípcio. O ano de 2012 chega na Europa com a esperança de uma solução para a crise econômica, no momento em que 17 países celebram sem grande entusiasmo os dez anos do euro. Os fogos de artifício em Atenas foram mais tímidos neste réveillon marcado por uma forte recessão.


Os conflitos no mundo árabe e a crise econômica na Europa não puderam ser esquecidos na virada do ano.

No dia 31, mulheres egípcias carregam velas em homenagem às vítimas das revoltas no Cairo. Reuters

Na capital do Egito, um concerto à luz de velas foi realizado na Praça Tahrir para homenagear as vítimas das revoltas do início do ano, que provocaram a queda do presidente Hosni Mubarak.

Na Síria, militantes pró-democracia começaram 2012 com manifestações. No primeiro dia do ano, a primeira vítima da repressão do regime de Bachar Al-Assad foi uma criança de 7 anos, que morreu com um tiro. O alvo das forças de segurança era o carro do seu pai, na província de Hama. "Trata-se do primeiro mártir em 2012", informou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos. Vídeos transmitidos no site do Youtube mostram os "jovens da revolução" celebrando o réveillon com gritos pedindo a queda do presidente sírio. "O mundo inteiro acolhe o novo ano com fogos de artifício e, na Síria, recebemos 2012 com tiros e tanques", dizia um cartaz na cidade de Daël.

Europa

Passando por uma grave recessão, a Grécia teve comemorações mais contidas do que em anos anteriores. Os fogos de artifício que iluminam a Acrópole de Atenas à meia-noite foram mais tímidos este ano. "A Grécia passará em 2012 por um ano difícil, mas o país deve persistir no caminho das reformas a fim de se manter na zona do euro. Devemos continuar nossos esforços com determinação para não transformarmos a crise em uma falência incontrolável e desastrosa", declarou o primeiro-ministro grego, Lucas Papadémos, em sua mensagem de fim de ano.

Primeira missa de 2012 do papa Bento XVI no Vaticano Reuters

O papa Bento XVI insistiu, neste domingo, em seu discurso no Vaticano, na necessidade de transmitir valores morais aos jovens, "para que eles possam construir a paz". Em sua mensagem de ano novo, o líder da Igreja Católica lembrou que muitas crianças crescem em uma realidade social que pode torná-las adultos intolerantes e violentos. Ele pediu que a sociedade combata a "cultura do relativismo" e eduque os jovens para que eles tenham "um profundo senso de justiça e de respeito ao próximo".

Na Itália, apesar da crise, as festividades foram intensas, principalmente no sul do país. Em Veneza, 60 mil pessoas se reuniram na Praça San Marco para o "beijo da meia-noite". Apesar da proibição de venda de fogos de artifício em quatro cidades italianas (Veneza, Milão, Bari e Turim), incidentes não puderam ser evitados. Um homem morreu na explosão de foguetes pirotécnicos. Pelo menos 560 pessoas, entre elas 76 crianças, sofreram queimaduras, principalmente nas mãos e rosto, informou a polícia.

Na França, o governo proibiu fogos de artifício e os parisienses e turistas que passaram a virada em Paris ao lado da Torre Eiffel tiveram que se contentar em ver as luzes do monumento piscando por alguns minutos. Segundo autoridades francesas, mais de 300 mil pessoas se reuniram na principal avenida da capital, Champs Elysées.

Mergulho tradicional de ano novo no rio Tibre, em Roma, do alto da Ponte Cavour. Reuters

Os preparativos para os Jogos Olímpicos de 2012 em Londres deram o tom do réveillon na Inglaterra. O rio Tâmisa acolheu os fogos de artifício que pipocaram no céu após as doze badaladas do Big Ben.

Outras tradições marcam a virada de ano no inverno europeu. Muitos corajosos entram em águas geladas para ter sorte. Milhares de pessoas mergulharam no rio Forth, em Edimburgo, capital da Escócia, no mar do Norte em Scheveningen, na Holanda, e no rio Tibre, em Roma, capital da Itália.