rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

África Lusófona Moçambique caça furtiva Polícia

Publicado a • Modificado a

Moçambique: "Polícia apoia caça furtiva"

media
Filipe Nyusi, Presidente de Moçambique Yasuyoshi CHIBA / AFP

O chefe de Estado moçambicano alertou esta quinta-feira para a existência de agentes da polícia que alugam armas a caçadores furtivos. A preocupação de Filipe Nyusi foi manifestada durante o primeiro dia da sua visita de trabalho à província de Maputo.


No primeiro dia da visita à província de Maputo, o Presidente Filipe Nyusi admitiu a redução da caça furtiva, contudo alertou para a existência de agentes da polícia que alugam armas a caçadores furtivos.

O chefe de Estado garantiu que não vai permitir esse tipo de comportamentos no seio da polícia, uma vez que estes têm como missão proteger a população e as espécies animais.

Houve uma redução significativa da caça furtiva na província de Maputo e temos casos de alguns polícias que gostam de alugar armas para as pessoas irem caçar. Não vamos permitir esse tipo de polícias, porque esses têm a missão de proteger”, explicou.

Moçambique aprovou em Abril de 2014 a primeira lei que criminaliza a caça furtiva, todavia no passado vários agentes de polícia foram detidos por estarem a apoiar esta actividade que é punida por lei.

Médicos fazem cobranças ilícitas

Filipe Nyusi foi ainda confrontado com as queixas com queixas de cobranças ilícitas por parte de médicos e enfermeiros afectos a algumas unidades sanitárias. O Presidente reconheceu as práticas em alguns centros hospitalares da província e admitiu que esses profissionais serão responsabilizados.

Filipe Nyusi, chefe de Estado de Moçambique 18/07/2019 ouvir