rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

União Africana África Marcelo Rebelo de Sousa Filipe Nyusi Moçambique Portugal

Publicado a • Modificado a

Presidente português anuncia cimeira UE-África em 2021

media
Presidentes de Portugal e Moçambique reunidos no Fórum Euro-África em Carcavelos, Lisboa. LUSA

Presidente da República de Portugal aproveita visita do chefe de Estado moçambicano a Lisboa para anunciar uma cimeira União Europeia-África em 2021. Primeiro-ministro português fala em novo clima de confiança em Moçambique.


O Presidente da República de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, aproveitou a segunda edição do Fórum Euro-África, iniciativa da associação do Conselho da Diáspora Portuguesa, a docorrer em Carcavelos, Lisboa, para anunciar uma cimeira União Europeia/África, em 2021.

Nesse ano, Portugal assume a presidência da União Europeia, pelo que o chefe de Estado português deu a iniciativa por garantida, independentemente do Governo saído das próximas eleições legislativas, que terão lugar a 6 de outubro deste ano. 

Também o primeiro-ministro português, no início do ano, tinha deixado a garantia de que a presidência portuguesa na União Europeia teria "como tema fundamental o das relações entre a União Europeia e o continente africano".

Já não é a primeira vez que Portugal desempenha um papel de destaque na promoção das cimeiras entre o continente africano e o bloco dos 28. 

A primeira cimeira, em 2000, foi promovida precisamente promovida pelos portugueses, durante a sua presidência no Conselho da União Europeia.

A visita do presidente moçambicano a Portugal, que começou na passada terça-feira, ficou também já marcada pela assinatura de 13 acordos entre os dois países, que realizaram, na quarta-feira, IV Cimeira Luso moçambicana.

O primeiro-ministro português falou mesmo num novo clima de confiança em Moçambique e defendeu a livre circulação, chegando mesmo a falar numa "ponte entre o Atlântico e o Índico". O chefe de Governo português indicou, inclusive, o elevado número de empresários portugueses presentes na cerimónia como indicador desse "clima de confiança".

Ainda a marcar a visita do presidente moçambicano, está o desaparecimento do empresário português Américo Sebastião, um caso que tem desde 2016 azedado as relações entre os dois países.

No entanto, numa conferência de imprensa ao lado do primeiro-ministro português, o Presidente de Moçambique quis deixar claro que "esse não é um assunto de Estado, pelo menos da parte de Moçambique", acrescentando que "coisas como essas em Moçambique durante os 16 anos que tivemos de conflitos acontecem muito.Tenho muitos moçambicanos desaparecidos, de todo o tipo de pessoas, incluindo alguns portugueses", frisou.

Esta sexta-feira será o último dia de 4 dias de visita do presidente moçambicano e será recebido na Câmara Municipal de Viseu, uma cidade na região centro do país.