rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Moçambique Ciclone Chuvas

Publicado a • Modificado a

Ciclone Kenneth já fustiga Moçambique

media
Imagens de satélite mostram ciclone Kenneth aproximar-se de Moçambique NASA/Handout via REUTERS

Alguns distritos do norte de Moçambique estão a ser atingidos por ventos muitos fortes e chuva intensa desde o princípio da noite desta quinta-feira com a chegada ao continente do ciclone Kenneth.


Os ciclones tropicais formam-se no mar e este foi o primeiro a chegar ao norte de Moçambique desde que há registos, isto é nos últimos 60 anos.

O ano de 2019 fica na história como o primeiro em que Moçamboique foi atingido por dois ciclones de categoria dois ou superior na mesma época chuvosa - depois de o Idai ter atingido o território em Março classificado com categoria três.

Rajadas de vento de até 215km/horas e chuvas intensas fustigam o norte de Moçambique, como explica o metereologista Acácio Temba:

“Os distritos costeiros já estão a sentir esse efeito desde a noite de ontem e principalmente aquelas ilhas já estão a sentir o efeito. Esse sistema, devido à circulação, também vai afectar a província de Nampula, mas nós já estamos a prever ventos muito fortes em Nampula, muita chuva”.

O primeiro-ministro, Carlos Agostinho do Rosário, diz que o governo vai acompanhar com preocupação a evolução do ciclone Kenneth, que já atingiu a categoria 4, igual à do Idai que fustigou, no mês passado, as províncias do centro do país:

“É caracterizado por ventos fortes, que estão a atingir algumas zonas de Cabo Delgado, Nampula e prevê-se, outra vez, Niassa.”

As autoridades moçambicanas anunciaram ter evacuado as zonas de risco de cheias desde a activação do alerta vermelho, na quarta-feira, transferindo cerca de 30 mil pessoas para mais de 30 centros de acolhimento, a maioria instalados em escolas.

As autoridades moçambicanas reforçam o apelo para a retirada das populações das zonas de risco.

Oiça aqui a crónica de Orfeu Lisboa, em Moçambique:

Orfeu Lisboa, Moçambique 25/04/2019 ouvir