rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Moçambique Cabo Delgado Terrorismo

Publicado a • Modificado a

Cutlass Express 2019 no combate ao terrorismo em Moçambique

media
Mocímboa da Praia, em Cabo Delgado, no norte de Moçambique. 8 de Março de 2018. ADRIEN BARBIER / AFP

As marinhas navais dos países que operam ao longo do oceano índio estão capacitadas para combater o tráfico ilícitos de drogas, produtos da fauna bravia, tráfico de seres humanos bem como do extremismo violento. O anunciou foi feito pelo encarregado de negócios dos Estados Unidos da América (EUA) em Maputo, que financiou a nona edição das manobras militares conjuntas denominadas Cutlass Express 2019.


São manobras militares que envolveram de 29 de Janeiro a 7 de Fevereiro as forcas armadas moçambicanas, francesas e de outros 14 países que operam no oceano indico e com ganhos esperados também no combate ao extremismo violento no pais e na região explica o encarregado de negócios dos Estados Unidos da América em Moçambique Bryan Hunt.

"Neste momento, este exercício marítimo está focalizado em eliminar estas redes criminosas, principalmente na área do tráfico de drogas, tráfico de fauna bravia, tráfico humano e outras coisas ilegais. Na minha opinião vai ter um impacto na luta contra extremismo violento na África Orienta, não só em Cabo Delgado mas pela costa inteira", afirmou o encarregado de negócios dos EUA em Maputo.

Denominado Cutlass Express 2019, na sua nona edição, os exercícios militares conjuntos tiveram lugar ao largo de Cabo Delgado, província que a mais de um ano alvo de ataques de grupos desconhecidos, e onde foram também aprimoradas as estratégias conjuntas de abordagem de embarcações ilegais e novas formas de ameaças como nos conta o nosso correspondente em Maputo, Orfeu Lisboa.

Correspondência de Maputo 09/02/2019 ouvir