rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Moçambique Ataques Morte Cabo Delgado Polícia Armas Filipe Nyusi

Publicado a • Modificado a

Moçambique: pelo menos 1 morto e 1 ferido grave em ataque no norte

media
soldados em Mocímboa da Praia, Cabo Delgado Moçambique, onde ocorreu o primeiro ataque armado contra polícias em Outubro de 2017 ADRIEN BARBIER / AFP

Uma pessoa morreu num ataque de um grupo de homens armados na noite de terça-feira no posto administrativo de Mucoso, na província de Cabo Delgado, a polícia garante que a segurança das populações está assegurada.


Um morto, um ferido grave, saque de bens da população e a queima de 14 barracas de comércio informal, é o resultado de mais um ataque protagonizado na noite desta terça-feira (27/11) por homens desconhecidos na aldeia de Nacutuco, zona remota perto do posto administrativo de Mucojo, na província nortenha de Cabo Delgado.

O ataque com recurso a armas de fogo e catanas, segundo relatos que chegam da província de Cabo Delgado, no extremo norte de Mocambique, acontece no mesmo dia em que o porta-voz do Comando-geral da Polícia Inácio Dina assegurou o reforço de medidas para travar novos ataques.

Orfeu Lisboa, correspondente em Maputo 28/11/2018 ouvir

"...ao cenário de incivilidades que temos vindo a viver em Cabo Delgado, um e outro incidente que tem vindo a acontecer, tem vindo a ter a resposta devida por parte das autoridades que estão no terreno...neste momento é mais no geral o cenário da ordem e segurança em Cabo Delgado continua a ser garantido pela forças de Defesa e Segurança".

Entretanto, discursando no encerramento do Décimo Nono Conselho Coordenador do Ministério da Defesa Nacional, Filipe Nyusi Presidente da República e também comandante em chefe das Forças de Defesa e Segurança de Moçambique chamou atenção para a necessidade de uma melhor preparação para lidar com novas ameaças à soberania do país.

A onda de violência e ataques em Cabo Delgado causou mais de uma centena de mortes desde Outubro de 2017 e depois de um período de acalmia, voltou este mês a eclodir, tendo provocado mais de 20 mortos, o que leva parte da população a fugir para a vizinha Tanzânia.

Enquanto prosseguem os ataques, decorre em Pemba, capital de Cabo Delgado, o julgamento de cerca de 200 suspeitos deste ataques, nesta província rica em recursos minerais, onde a exploração das enormes e cobiçadas jazidas de gás deverá começar em 2022.