rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo
Urgente
CAN2019: Cabo Verde perde com Tanzânia e complica contas

Moçambique Eleições Autárquicas

Publicado a • Modificado a

Frelimo lidera resultados provisórios em Moçambique

media
Populares aguardam pela sua vez para votar para as eleições autárquicas, em Maputo, Moçambique, 10 de Outubro de 2018. 3.910.712 eleitores escolheram os presidentes dos 53 conselhos autárquicos do país ANTÓNIO SILVA/LUSA

Os resultados provisórios das eleições autárquicas em Moçambique estão a ser actualizados ao longo do dia, confirmam até ao momento, hegemonia da Frelimo em autarquias do sul do país com a reconquista da capital Maputo e conferem vitórias a Renamo em importantes conselhos autárquicos do centro e norte de Moçambique.


A contagem dos votos prossegue, faltando de acordo com os órgãos eleitorais, conferir os dados de 14 conselhos autárquicos.

Os resultados provisórios das eleições autárquicas de 10 de Outubro divulgados esta quinta-feira pela Comissão Nacional de Eleições revelam alterações no mapa político moçambicano.

A Renamo conquista importantes municípios do norte principalmente na província de Nampula. O Movimento Democrático de Moçambique MDM volta a conquistar a cidade de Beira segundo avançou o Porta- voz da CNE. "A Frelimo teve 44.380 votos correspondentes a 29,45%. O MDM 69.410 votos correspondente a 46,06%. A Renamo obteve 36.345 votos, correspondentes a 24,12%", anunciou Paulo Cuinica.

A Frelimo mantém a hegemonia no sul com vitória na cidade de Maputo; "A Frelimo teve 14.533 correspondente a 68,49%".

Os resultados provisórios estão a ser divulgados no site do secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE).

Os resultados definitivos que poderão alterar profundamente a geografia política do país só serão conhecidos até 15 dias depois das eleições como nos explica o nosso correspondente em Maputo, Orfeu Lisboa.

Correspondência de Maputo 11/10/2018 ouvir

No entanto para Edson Cortez, director do conselho de direcção do Centro de Integridade Pública de Moçambique, o figurino político poderá mudar com a descentralização que deve dar mais independência aos órgãos do poder local.

Edson Cortez, director do conselho de direcção do Centro de Integridade Pública de Moçambique 11/10/2018 ouvir