rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo
Convidado
rss itunes

Mangunde recebeu milhares de pessoas para o derradeiro adeus a Dhlakama

Por Cristiana Soares

A aldeia de Mangunde, terra natal de Afonso Dhlakama, recebeu esta quinta-feira milhares de pessoas para o derradeiro adeus ao presidente da Renamo.

A cerimónia religiosa católica começou pelas 9H30 hora local e foi em português e em ndau, língua local.

Junto à casa do pai de Afonso Dhlakama, na aldeia que viu nascer há 65 anos, o líder da Renamo foi homenageado pela última vez, pela família próxima, elementos da Renamo, representante do governo e população local.

Na homilia, o líder local da igreja católica aproveitou para lançar um apelo à conciliação.

A cerimónia contou com a leitura de varias mensagens, entre elas a mensagem da família de André Matsangaissa. O representante do primeiro presidente da Renamo sublinhou o desejo de que a nova liderança da Renamo continue a ter em conta os ideais dos dois líderes históricos do partido.

Depois da cerimónia, os restos mortais de Afonso Dhlakama foram sepultados no cemitério da família, com uma salva de espingarda das forças de segurança de Moçambique, contra as quais, em vida, o líder da Renamo lutou de arma na mão.
No final da cerimónia voltaram-se a ouvir palavras de tristeza e dor por parte da população.

O líder da Renamo morreu na quinta-feira da semana passada, a 3 de Maio de 2018, tinha 65 anos. Dhlakama encontrava-se na Serra da Gorongosa e morreu devido a complicações de saúde.