rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Moçambique Proteção Fauna Caça Ilegal Tráfico ilegal

Publicado a • Modificado a

Protecção de espécies ameaçadas em Moçambique

media
Este mês, foram apreendidas 3,5 toneladas de 867 pontas de marfim de elefantes. http://www.gorongosa.org

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento e o Fundo Global para o Meio Ambiente vão disponibilizar a Moçambique 16 milhões de Dólares norte americanos a serem aplicados em acções de conservação de espécies ameaçadas. O valor deverá ser aplicado em seis anos, num país onde o elefante é já uma espécie ameaçada devido à caça furtiva e ao contrabando.


Só neste mês de Abril, a Autoridade Tributária apreendeu 3,5 toneladas de 867 pontas de marfim, o que segundo as suas estimativas representa 434 elefantes abatidos. A apreensão da mercadoria que se destinava à Camboja, efectuada poucos dias depois de se ter já interceptado mais de uma tonelada de marfim, foi a mais importante alguma vez conseguida.

Em recentes declarações, Carlos Lopes, director de Protecção e Fiscalização da Administração Nacional das Áreas de Conservação (ANAC), considerou que estão a perder-se elefantes "a um ritmo que, se não for radicalmente alterado, vai conduzir à extinção ou, pelo menos, à inviabilidade das populações desta espécie". De acordo com a ANAC, desde 2009, Moçambique perdeu pelo menos 10 mil elefantes, o que representa uma redução de 60% do seu número inicial devido à caça furtiva.

Dados oficiais indicam ainda que em 2017, foram detidas um total de 2400 pessoas sob a suspeita de estarem envolvidas na caça ilegal. Mais pormenores com Orfeu Lisboa.

Orfeu Lisboa, correspondente da RFI em Maputo 23/04/2018 ouvir