rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Moçambique FMI Crise financeira Dívida

Publicado a • Modificado a

Moçambique: fim da missão do FMI

media
Logotipo do FMI, em Washington, Estados Unidos da América REUTERS/Yuri Gripas

Missão do FMI encerra hoje os trabalhos com vista a analisar os resultados da auditoria sobre as dívidas ocultas de Moçambique.


O Fundo Monetário Internacional termina nesta quarta-feira uma missão a Moçambique, que visava discutir com as autoridades a auditoria às dívidas ocultas do país.

Dívidas que resultaram de empréstimos avaliados em 2 mil milhões de dólares norte americanos contraídos em 2013 e 2014 pelas empresas estatais Proindicus, EMATUM e a MAM.

E isto com garantias soberanas do Estado moçambicano, emitidas durante a governação de Armando Guebuza violando deste modo a Constituição da República, as leis orçamentais e à revelia do parlamento e parceiros internacionais.

A missão do FMI teve inicio a 10 de Julho, logo a seguir à divulgação, no dia 24 de Junho, do sumário do relatório da auditoria da Kroll às dívidas ocultas de Moçambique.

De recordar que em reacção, o FMI considerou que persistem lacunas de informação, em particular no que respeita ao uso desses empréstimos.

Para além de discutir sobre as dívidas ocultas, a missão do Fundo Monetário Internacional, chefiada pelo economista Michel Lazare, também avaliou com as autoridades moçambicanas a situação macroeconómica do país.

Tendo analisado igualmente as prioridades do executivo relativamente ao Orçamento de 2018 e provável descongelamento das ajudas financeiras e a retoma dos apoios ao orçamento do Estado.

Com a colaboração de Orfeu Lisboa em Maputo.