rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

África Lusófona Moçambique MDM Daviz Simango Dívida Auditoria Congelar bens

Publicado a • Modificado a

MDM quer congelar bens dos autores da dívida

media

O líder do MDM em Moçambique, Daviz Simango, exige que os bens dos autores da dívida pública sejam apreendidos e as suas contas congeladas em Moçambique e no estrangeiro.


O Presidente do MDM reagiu assim à divulgação pela Procuradoria-Geral República do relatório sobre a dívida pública. O relatório foi realizado pela consultoria de risco com sede em Nova Iorque, Kroll, à EMATUM, Proindicus e MAM.

" Exigimos ao Ministério Público que use o seu profissionalismo e princípios éticos e irrepreensíveis a assinalar as investigações, de modo a que no espaço curto de tempo (...) os envolvidos sejam presentes no banco dos réus para serem responsabilizados civil e criminalmente", adiantou

Daviz Simango defendeu ainda que os bens dos autores da dívida devem ser " preventivamente arrolados e aprendido o património, produto desta engenharia financeira ilícita e corrupta. Congelar as contas bancárias e repatriados todos os valores e activos no estrangeiro", referiu.

O líder do MDM, terceira força partidária no país, pede ainda que sejam declaradas inconstitucionais as resoluções da Assembleia da República "que aprovou a inscrição destas dívidas criminosas nas contas gerais do Estado 2014 e 2015 (...)", concluiu.

Daviz Simango, líder do MDM em Moçambique 26/06/2017 ouvir

A Procuradoria-Geral da República divulgou o resumo do relatório das dívidas não declaradas apontando falhas na gestão, informações contraditórias e recomendações para futuro.

O Presidente moçambicano já veio garantir que vai conceder todo o apoio institucional à Procuradoria-Geral da República na investigação às chamadas dívidas ocultas.