rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Guiné-Bissau Aristides Gomes José Mário Vaz Eleições legislativas CEDEAO

Publicado a • Modificado a

Guiné-Bissau: governo propõe eleições legislativas a 17 fevereiro 2019

media
Aristides Gomes, primeiro-ministro da Guiné-Bissau Lusa

Presidente José Mário Vaz deverá marcar a data das eleições legislativas, antes da cimeira da CEDEAO a 22 deste mês, ao governo "convém" a data de 17 de fevereiro de 2019, o recenseamento encerra dia 19 de dezembro.


A delegação de alto nível da CEDEAO instou na semana passada em Bissau o presidente José Mário Vaz a marcar a data das eleições legislativas (inicialmente agendadas para 18 de Novembro) antes da cimeira de chefes de Estado e de governo da CEDEAO, agendada para 22 de Dezembro em Abuja, na Nigéria, acrescentando que estas deveriam ser realizadas até ao final de janeiro.

Para tentar obter consensos, o primeiro-ministro guineense Aristides Gomes convocou para esta segunda-feira (17/12) representantes dos partidos políticos - com e sem assento parlamentar - do grupo designado P5 - União Africana, CEDEAO, CPLP, União Euroipeia e ONU - membros da sociedade civil e de outras instituições do país.

Os encontros foram no entanto suspensos, após a reunião com os partidos políticos, dado que o primeiro-ministro foi chamado pelo chefe de Estado para um encontro no Palácio da Presidência.

Á saída o primeiro-ministro Aristides Gomes declarou "...o espírito destes encontros é nós continuarmos a discutir todos os problemas ligados à preparação das eleições, neste caso concreto o recenseamento, para que possamos ter tudo clarificado...vamos ter as regras do jogo bem afinadas, etc, para fazermos umas eleições transparentes. Há vários cenários: 17 ou 24 [de fevereiro] e 10 de março...para o governo convém-nos 17 de fevereiro, mas quem decide é o Presidente".

Ainda esta semana haverá um novo encontro, para definir a data, mas a decisão final será tomada pelo Presidente José Mário Vaz, que a deverá anunciar por decreto antes de partir para Abuja.

Entretanto o processo de recenseamento no país e diáspora termina a 19 de dezembro - contestado pelo PRS que sustenta o governo e por mais de 20 outros pequenos partidos - este retomou na passada sexta-feira (14/12) após uma semana de suspensão, com a reabertura do GTAPE - Gabinete Técnico de Apoio ao Processo eleitoral - quando já estão recenseados cerca de 95% dos potenciais cerca de 900 mil eleitores.

Com a colaboração do nosso correspondente em Bissau Mussa Baldé.