rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Recenseamento Eleições Legislativas Guiné Bissau CEDEAO África Lusófona

Publicado a • Modificado a

CEDEAO quer legislativas na Guiné Bissau 18 de novembro

media
Recenseamento eleitoral pode arrancar 19 de setembro para legislativas de novembro na Guiné Bissau. Na foto registo biométrico 2008. GEORGES GOBET / AFP

Chegou hoje a Bissau, uma delegaçao da CEDEAO, com vista a inteirar-se sobre a situaçao relativamente à organizaçao das legislativas de 18 de novembro. Isto quando o primeiro-ministro, Aristides Gomes, declarou estar a trabalhar no sentido de se iniciar, amanhã, quarta-feira, o recenseiamento eleitoral.


A missão liderada pelo chefe da diplomacia da Nigéria, Geoffrey Onyema e integrada ainda pelo ministro da presidência da Guiné-Conacri, Kiridi Bangoura e por Jean Claude Kassi Brou, presidente da comissão da CEDEAO, está em Bissau para tentar junto dos atores políticos e a liderança do país, encontrar um entendimento que possa viabilizar a realização das eleições legislativas.

Do que a RFI pôde apurar dos primeiros encontros, com o pessoal encarregue da organização de eleições e com o Governo, tudo terá que ser feito para que as eleições tenham lugar o quanto antes, ainda agora que chegaram à Guiné-Bissau os equipamentos do registo de eleitores oferecidos pela Nigéria.

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Nigéria considera que o momento é de recuperar o tempo perdido e que não há motivos para mais instabilidades.

O primeiro-ministro gostou do que ouviu da CEDEAO e disse que o Governo está a trabalhar para que o recenseamento eleitoral comece já esta quarta-feira, dia 19 de setembro.

A Comissão Nacional de Eleições diz que sim é possível avançar, mas chama atenção sobre a falta de verbas com que se depara e ainda pede que haja um consenso sobre os prazos previstos na lei, para que não venha haver reclamações depois da votação, votação que o primeiro-ministro afirma ainda ser possível no dia 18 de novembro.

Mussa Baldé, correspondente, em Bissau.

Mussá Baldé, correspondente, em Bissau 18/09/2018 ouvir