rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Guiné Bissau Futebol Fifa África África Lusófona Desporto

Publicado a • Modificado a

Dirigentes querem inspectores da FIFA na Guiné-Bissau

media
Imagem de arquivo. GABRIEL BOUYS / AFP

Um grupo de dirigentes de futebol quer que a FIFA envie inspectores à Guiné-Bissau para verificar as contas da Federação de Futebol, a quem acusam de gestão danosa. Serifo Sow, porta-voz do grupo, defende que o governo deve retirar o estatuto de utilidade pública à federação.


Um grupo de dirigentes guineenses de futebol quer agentes da FIFA a inspeccionar as contas da federação, a quem acusam de gestão danosa.

“A FIFA vai ver que as coisas estão a ser mal geridas e aí toma-se uma decisão: ou se manda o comité executivo da federação para fora ou deixam de mandar os fundos para a Guiné enquanto as coisas não forem resolvidas”, disse à RFI Serifo Sow, porta-voz do grupo.

O antigo director-geral do Benfica de Bissau – que se demitiu devido ao clube ter apoiado a federação – disse que o grupo defende a retirada de estatuto de utilidade pública à Federação de Futebol.

Serifo Sow apontou várias irregularidades com as contas da federação, nomeadamente, o desembolso de fundos para “modalidades que não são praticadas no país” e a ausência de um orçamento e plano anual.

Por outro lado, o responsável disse que a federação está a contrair dívidas com pessoas singulares com uma taxa de juro de 25% a 30%, o que disse ser "muito grave".

No total, 21 clubes subscreveram as denúncias de gestão danosa, incluindo 14 da primeira e segunda divisão que não participaram no último campeonato de futebol, devido às divergências com a Federação.

Na quinta-feira, o grupo expôs as críticas ao secretário de Estado do Desporto, Florentino Dias.

Serifo Sow, Colectivo de dirigentes de futebol da Guiné-Bissau 13/08/2018 ouvir