rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Senegal Guiné-Bissau Nino Vieira Guerra Diálogo Guiné Conacri Tráfico de armas

Publicado a • Modificado a

Guiné-Bissau: guerra de 7 de Junho 1998 foi "inglória"

media
Antigo Presidente da Guiné-Bissau Nino Vieira, assassinado a 2 de Março de 2009 Foto: Reuters

A Guiné-Bissau assinalou esta quinta-feira o 20º aniversário da guerra de 07 de Junho, as mulheres aproveitaram a oportunidade, para pedir aos políticos que privilegiem o diálogo, para que o país nunca mais volte a conhecer um conflito semelhante.


Volvidos 20 anos após o conflito armado, celebrizado como a guerra de 7 de junho, os guineenses choram os mortos, ainda por contabilizar - fala-se da morte de cerca de dois mil civis e soldados mortos guineenses mas também oriundos do Senegal e da Guiné Conacri - mas também olham pelo passado com a convicção de que aquela crise não tinha razões para acontecer.

Mussa Baldé, correspondente em Bissau 07/06/2018 ouvir

Uma disputa entre os altos responsáveis políticos e militares, por alegado envolvimento de uns e de outros no tráfico de armas para os rebeldes da Casamança, desembocou num conflito armado que durou 11 meses, tendo terminado com a deposição do então Presidente João Bernardo "Nino" Vieira, cujo pseudónimo era "Kabi Nafantchamna".

A Junta Militar, que se constituiu na altura, comandada pelo brigadeiro Ansumane Mané reclamava a reposição da justiça no país.

Vinte anos depois, os guineenses ainda estão para ver a tal justiça, pior ainda dizem que aquela guerra foi inglória.

Francisca Vaz, a coordenadora do movimento de mulheres e raparigas pela paz, dirigiu uma romaria ao bairro de Bra, em Bissau, onde deflagrou o conflito, para aí depositar coroas de flores e apelar à reconciliação entre os guineenses.

"Zinha" Vaz afirmou entre outros "registamos que após esta guerra a nossa sociedade ficou destroçada e até hoje todo o conflito e a instabilidade que estamos a viver, achamos e temos quase a certeza que é por cauda da guerra de 7 de Junho, por isso fazer este gesto, para poder chamar a atenção a todos  os actores políticos, mas também à sociedade civil e às forças de defesa e de segurança, que não enveredem mais para a violência, porque até hoje a Guiné está a sofrer por causa desta guerra de 7 de Junho, foi uma guerra inglória".

Tirando a iniciativa das mulheres, não houve nenhuma comemoração oficial para assinalar o 20º aniversário da guerra de 07 de junho.